Motorola One: hands-on e primeiras impressões

O Motorola One é um smartphone com software simples, com hardware intermediário e design inspirado em um dos grandes sucessos da Apple. O dispositivo chega ao mercado internacional com um preço bastante atraente e, caso a Motorola consiga manter essa oferta no mercado nacional, o Motorola One pode vir a ser um dos aparelhos mais vendidos no Brasil. Tive a chance de testar rapidamente o aparelho e aqui você confere quais foram as minhas impressões.

Motorola One: preço e disponibilidade

O Motorola One foi anunciado durante a IFA 2018, em Berlim, e ainda não possui data de chegada ao Brasil. Na Europa, o aparelho pode ser adquirido por 299 euros, aproximadamente R$ 1.440,95 sem impostos (cotação de 11/09/2018).

Durante o evento de lançamento, a fabricante confirmou que o Moto One será vendido na América Latina a partir dos próximos meses.

Motorola One: vídeo hands-on

Motorola One: design

O design do Motorola One foi claramente inspirado no iPhone X, assim como o Asus Zenfone 5 e o Huawei P20 Pro. Contudo, a Motorola exagerou um pouco mais no tamanho do notch, o recorte no topo da tela. A posição das lentes duplas da câmera traseira e o sensor de impressão digital também colaboraram para essa semelhança.

Motorola One notch do iPhone X
O design do Motorola One foi inteiramente inspirado no iPhone X @Mobizoo

O Motorola One não é pequeno, afinal de contas, a tela possui 5,9 polegadas. O que torna usar o dispositivo com apenas uma mão quase impossível. No entanto, o aparelho é leve e de fácil manuseio. Como temos vidro por todos os lados – me refiro à tela e à parte traseira –, as impressões digitais ficam constantemente impressas na parte de trás.

Parte traseira do Motorola One
O design da parte traseira do Motorola One também foi inspirado no iPhone X @Mobizoo

A Motorola optou por manter a entrada P2 e adicionou uma porta USB-C para carregamento e transferência de dados.

Na minha opinião, celulares no estilo iPhone X rodando com Android não são atraentes. Não sou fã do notch e não vejo beleza ou funcionalidade neste formato. Contudo, reconheço a capacidade da Apple de lançar tendências e influenciar o mercado, logo, acredito que o Moto One será um sucesso nas lojas por causa da sua semelhança com um dos smartphones mais caros do mundo, o iPhone X.

Motorola One sem o notch
O Motorola One sem o notch fica bem mais interessante @Mobizoo

Motorola One: tela

O display do Moto One é satisfatório. A tela possui 5,9 polegadas e resolução HD+, que oferece uma proporção de 19:9, ao contrário dos 18:9.

O ponto positivo aqui é que este formato já está estabelecido no mercado de games e audiovisual, logo, os usuários do Moto One já não precisam mais se preocupar com a perda de conteúdo devido à adaptação da imagem à tela.

Motorola One: hands-on e primeiras impressões - Mobizoo
Motorola One: primeiras impressões @Mobizoo

Motorola One: software

O grande emotivo de existir da nova linha da Motorola é o fato de termos o Android One como sistema operacional. Assim como o Android 9 Pie, por exemplo, este SO também é desenvolvido pela Google, mas seu objetivo é distinto.

Aparelhos rodando com o Android One, a princípio, não carregam a skin da fabricante, e são desenvolvidos para um hardware geralmente intermediário. E, apesar de serem comercializados na Europa, o foco da Google e das fabricantes parceiras são os mercados emergentes, como a América Latina, a Ásia e a Índia.

Motorola One rodando Android Oreo
O Motorola One sai de fábrica rodando o Android Oreo @Mobizoo

O que comumente acontece nestes mercados é que a gigante das buscas não comercializa aparelhos da linha Pixel, que por característica única carregam o software puro, aquele que não passou pela adaptação de outra fabricante. Usando o Android One, a Google consegue penetrar nestes mercados com o próprio SO.

Uma das grandes vantagens para os usuários nestes casos é poder contar com a atualização do software de forma mais rápida e garantida. Isso é possível porque é a própria Google quem envia o update do sistema e não a fabricante em si.

Para se ter uma ideia, mesmo tendo saído de fábrica rodando o Android 8.1 Oreo, o Moto One receberá atualizações do sistema operacional para P e Q, bem como as atualizações de segurança por até três anos.

Gaveta de apps do Motorola One
O Motorola One é livre de bloatwares @Mobizoo

Como usuária do Samsung Galaxy S8, o Android One me parece um tanto enxuto demais, mas isso para o usuário médio não deve ser um problema, visto que tal fator diminui as chances de termos problemas de desempenho nestes aparelhos.

Mas não se engane, pois a Motorola manteve algumas das suas “guloseimas”. Os recursos Moto Ação e o Moto tela podem ser usados no Motorola One. O primeiro permite usar gestos para ativar serviços, como lançar a câmera rapidamente ou acender a lanterna; já o segundo mostra as notificações de forma discreta na tela.

Motorola One e recursos Moto Ação e Moto Tela
O Motorola One conta co recursos da Motorola também, como o Moto tela e Moto Ações @Mobizoo

Por fim, a Google e a Motorola aproveitam com essa parceria para difundir recursos que levam por base mecanismos de aprendizado de máquina, a nossa já famosa Inteligência Artificial (AI). Recursos como o Google Lens e o Google Assistente já estão embarcados de forma nativa no aparelho, bem como o Google Fotos, o armazenamento ilimitado de imagens na nuvem.

Motorola One: ficha técnica

  • Android 8.1 Oreo (com atualização para Android 9 Pie);
  • 4G Dual Chip (2 nano sim);
  • Tela IPS 19:9 HD+ de 5,9 polegadas (1440 x 720 px);
  • Chipset Snapdragon 625 octa core 2.0 GHz;
  • GPU Adreno 506;
  • 4 GB de RAM;
  • 64 GB de armazenamento interno;
  • Entrada para micro SD de até 256 GB;
  • Câmera traseira dupla de 13 MP
  • Câmera frontal de 8 MP;
  • Gravação de vídeo em 4K à 30 fps;
  • Bluetooth 5;
  • Localização GPS, A-GPS, GLONASS e BDS;
  • Sensores: acelerômetro, giroscópio, proximidade, bússola;
  • Rádio FM;
  • NFC;
  • USB Tipo C;
  • Bateria de 3000 mAh com carregamento turbo.

Motorola One: câmeras

O Motorola optou por trazer um sistema de lentes duplas para a câmera principal. Por conta disso, temos a opção de capturar fotos com o fundo desfocado (Modo Retrato) e, claro, imagens com profundidade maior. A câmera frontal possui 8MP. O software é simples e é possível gravar vídeos em 4K e time-lapse.

Câmera principal Motorola One
O Motorola One possui duas lentes na câmera principal @Mobizoo

Em um primeiro teste, no entanto, a câmera do Motorola One não me surpreendeu, lembra muito a qualidade das imagens capturadas com os aparelhos da linha Moto G. Assim que a unidade de review do Motorola One for enviada, faremos um teste mais consistente das câmeras.

Motorola One: bateria

A bateria é uma das características mais difíceis de se falar em um hands-on. Porém, mesmo que a tela possua uma resolução baixa, como a HD+, o tamanho do display é um indicativo de que 3000mAh podem não ser suficientes para manter o Moto One ligado o dia todo.

Contudo, a equipe da Motorola afirma que é possível ter um dia inteiro de bateria com apenas uma única carga. Vamos ter que testar isso ainda.

Agora, o fato de podermos usar a tecnologia de carregamento TurboPower da Motorola neste aparelho é animadora. De acordo com a empresa, são 6 horas de energia em 20 minutos de carregamento.

Motorola One: é bom?

Se o Motorola One é bom ou não, ainda é muito cedo para garantir com apenas um teste rápido. Contudo, se o preço do dispositivo ficar abaixo dos 1.500 reais no Brasil, a Motorola terá certamente um crescimento na sua participação de mercado na América Latina em 2018.

O Motorola One possui um software limpo e boa performance. Se a câmera do aparelho ficar na média daquilo que temos no mercado com a mesma margem de preço, o Moto One tem tudo para ser tão popular quanto o primeiro Moto G.

E aí, você compraria o Moto One? Por quê?

Mais sobre: android IFA 2018 motorola