Motorola Moto G 5G Plus: um jato pronto pro futuro [Review]

Eu tô dizendo desde 2018 que o 5G ia demorar no Brasil, mas isso não impediu as fabricantes de lançarem seus smartphones prontos para a nova rede, como é o caso do Motorola Moto G 5G Plus.

Algumas operadoras dizem que já oferecem 5G em alguns bairros, mas na real, mesmo nesses raríssimos pontos, a conexão não chega perto do 5G de verdade.

Felizmente esse não é o único argumento de venda do intermediário da Motorola, que entre outros destaques traz; tela de 90Hz, câmera frontal dupla, 8 GB de RAM e processador potente para jogos.

Eu testei o modelo durante 3 semanas, e neste review vou compartilhar a minha experiência com você que está pensando em comprá-lo.

Tá com muita pressa? Então confira abaixo a minha lista de prós e contras, ou vá direto para:

Prós e contras

Prós

  • Ótimo desempenho para jogos, e muito veloz no dia a dia;
  • Câmeras muito competentes;
  • Tela impecável;
  • Bom som.

Contras

  • O 5G por enquanto é decorativo (mas vai ser legal no futuro);
  • O carregador é um pouco lento;
  • O botão Power é duro.
Motorola Moto G 5G Plus é bom? Vale a pena? [Review] - Mobizoo

Ficha técnica

  • Android 11;
  • Tela LTPS de 6,7 polegadas Full HD+ (1080 x 2520) com 90Hz, HDR10 e proporção 21:9 (CinemaVision);
  • Chipset Snapdragon 765 octa core 2,3 GHz;
  • GPU Adreno 620;
  • 8 GB de memória RAM;
  • 128 GB de armazenamento interno (expansível com micro SD);
  • Câmera traseira quádrupla:
    48 MP wide f/1.7 com tecnologia quad-pixel;
    8 MP ultrawide f/2.2 (118º)
    5 MP macro f/2.4;
    2 MP sensor de profundidade f/2.4;
  • Câmera frontal dupla – 16 MP wide f/2.0 + 8 MP ultrawide f/2.4;
  • Gravação de vídeo: 4K a 30 FPS (traseira) e Full HD a 30 FPS (frontal);
  • Bluetooth 5.1;
  • NFC;
  • Rádio FM;
  • A-GPS, Glonass, Galileo, LTEPP e SUPL;
  • Leitor de impressão digital lateral;
  • USB tipo C;
  • Sensores: acelerômetro, luz ambiente, proximidade, giroscópio, magnetômetro (bússola);
  • Bateria de 5000 mAh com carregamento turbo de 20w (carregador incluso).

Unboxing

Design e tela

À essa altura você já deve ter aceitado o fato de que os celulares intermediários da atualidade são construídos em plástico (com raras exceções), certo?

O Moto G 5G Plus segue esse padrão, mas até que a Motorola caprichou no acabamento, dando um ar mais premium ao modelo.

Na traseira temos uma superfície super brilhante com bordas curvas que imita vidro, e a “sub-textura” e o “efeito arco-íris” reforçam a ilusão. Nas laterais, o tratamento fosco deixa tudo com um ar mais sofisticado.

Eu achei o botão Power do aparelho um pouco difícil de apertar (por ser fundo e duro demais na minha opinião), mas isso só vai incomodar quem não utiliza a peça primariamente como leitor de digitais (nesse caso, encostou, ligou, porque o bicho é rápido).

Vale destacar que o dispositivo não é tão grande, grosso e pesado como o Moto G9 Plus, e seu formato mais estreito e alto (que lembra o One Vision) é mais confortável para as mãos.

Motorola Moto G 5G Plus - traseira

Esse formato “de cinema” (ou proporção 21:9) da tela é ótimo para assistir filmes e séries, mas é importante avisar, especialmente para as meninas, que isso deixou o corpo do telefone bem compridão, difícil de caber no bolso do shortinho.

O painel com tecnologia LTPS do modelo é muito superior aos displays LCD convencionais, e oferece ótimo contraste, cores vivas, amplo ângulo de visão, além de branco bem calibrado e preto profundo.

A cereja do bolo dessa tela é o HDR10, que, além de melhorar a experiência com vídeos, garante mais brilho para uma boa visualização ao ar livre, e a única coisa que deve “torcer alguns narizes” são os dois buracos na tela, que abrigam as duas câmeras frontais.

Se o buracão do One Vision fosse um filme de terror, o duplo furo do 5G Plus seria a sequência.

Motorola Moto G 5G Plus - tela

Câmeras

O Moto G 5G Plus não possui as melhores câmeras da categoria em quantidade de megapixels e tecnologias embarcadas, mas mesmo assim consegue entregar resultados muito bons na maioria das situações.

A câmera principal de 48 MP com tecnologia Quad Pixel e abertura f/1.7 oferece ótima sensibilidade à luz e bom alcance dinâmico, e a câmera secundária ultrawide não fica muito atrás, graças ao pós-processamento competente.

Veja o comparativo:

Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus

Lógico, dependendo do tipo de foto é possível encontrar algumas distorções nas imagens produzidas pela ultrawide, mas no geral o software consegue deixar tudo dentro do limite do aceitável. Veja neste exemplo:

Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus

Infelizmente não temos estabilização óptica em nenhuma das câmeras para ajudar a galera das mãos trêmulas – ainda mais em tempos de ansiedade em alta –, mas com um pouquinho de foco na respiração, dá pra tirar fotos bem maneiras:

Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus

O Modo Noturno evoluiu bastante nos intermediários da Motorola, e agora gera imagens mais próximas do real, porém ainda há grande perda de definição nos aparelhos desta categoria.

Isso fica bem evidente no exemplo abaixo, principalmente se você abre o arquivo em tamanho original (link no final deste tópico):

Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus

A macro, como sempre, é aquela coisa: não é exatamente útil, mas pode se tornar divertida se o celular oferece o mínimo de qualidade. No caso do Moto G 5G Plus, a macro é até bem bacaninha.

Olha essas formigas de aproximadamente 3 mm:

Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus

Agora, o que eu gostei mesmo foi das selfies. Afinal, o Moto G 5G Plus possui duas câmeras frontais, e pasme, as duas são ótimas.

Veja primeiro a foto com a frontal principal de 16 MP:

Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus

E agora a mesma foto, desta vez pela frontal ultrawide de 8 MP:

Teste de câmera - Motorola Moto G 5G Plus

Nota-se que a ultrawide fica devendo um pouco em termos de definição, mas é louvável o trabalho de pós-processamento para deixar a imagem com aspecto bem próximo ao da lente principal (inclusive ele remove boa parte das distorções da lente).

Para ver as fotos deste review em tamanho original, acesse o Google Drive do Mobizoo.

Teste de desempenho [vídeo]

O Moto G 5G Plus é um verdadeiro jato quando o assunto é velocidade de processamento.

Equipado com o potente chip Snapdragon 765 e mais 8 GB de RAM, o modelo passa facilmente por um top de linha, pelo menos nesse quesito.

Ele é extremamente veloz para qualquer tarefa do dia a dia, e ainda roda jogos pesados em qualidade máxima, sem dificuldades.

Confira o teste em vídeo:

O Android 11 da Motorola é bastante limpo – o que acaba colaborando para o desempenho geral do dispositivo – porém a fabricante poderia caprichar mais em alguns detalhes da interface, como a porcentagem de bateria, que fica ilegível de tão pequena, dentro do ícone de pilha na barra de status.

De qualquer forma trata-se de um celular que está à frente da concorrência no quesito desempenho, e a pontuação que ele alcança nos testes de benchmark está aí para comprovar.

Pontuação no Antutu Benchmark

Motorola Moto G 5G Plus - Antutu

Bateria

O Moto G 5G Plus apresentou uma autonomia muito boa durante as minhas semanas de uso, conseguindo ficar mais de 1 dia inteiro longe da tomada com tranquilidade, mesmo com a tela em 90Hz o tempo todo.

Essa média foi conseguida com uso moderado, ou seja, um pouquinho de cada coisa (jogos, streaming de vídeo, redes sociais, etc.), porém mesmo com uso mais intenso, percebi que o consumo de energia é bem baixo. Ponto para o chip da Qualcomm.

Um exemplo disso é o jogo Genshin Impact, que em 2 horas rodando com os gráficos na qualidade alta e a tela em 90Hz, consumiu apenas 8% da bateria.

Mas, se por um lado a bateria é nota 10, por outro, o carregador de 20W que vem com o modelo é uma decepção.

Ele não é tão horrível quanto o de 10W que vem com o Motorola One Fusion, mas é bem mais lento que o de 30W que vem com o Moto G9 Plus.

À título de comparação, nos meus testes o carregador de 20W do Moto G 5G Plus levou em média 2h para carregar de 15 a 100%, enquanto o do G9 Plus faz isso em pouco mais de 1h.

Áudio

Apesar de não ser estéreo, o áudio que o modelo apresenta no alto falante principal é bem encorpado, oferecendo boa profundidade, graves potentes e agudos que não distorcem.

Os fones de ouvido são os mesmos de sempre presentes em todos os modelos das linhas G e One, e isso é bom, já que o acessório não faz feio nem em qualidade, nem em conforto.

O antigo app de otimização Dolby agora se chama Moto Áudio, mas continua sendo uma boa adição para quem busca um som mais personalizado.

Veredito

Se você busca um smartphone com hardware potente e tela de primeira, que rode bem todos os jogos da Play Store, e ainda te garanta boas fotos e autonomia, o Moto G 5G Plus é uma excelente pedida, principalmente se encontrá-lo abaixo dos R$ 2.000, onde não há competidor à altura.

O carregador do modelo poderia ser mais rápido, mas isso não chega a ser um impeditivo – até porque você pode usar um mais potente nele, se quiser –, há algumas coisinhas para melhorar na interface, mas no geral a minha experiência foi muito positiva com o modelo.

Por esses motivos, meu veredito é:

Ainda não conhece a escala memética de avaliação do Mobizoo? Então veja como fazemos nossas análises de celular.

Deixo o meu agradecimento à assessoria da Motorola, que gentilmente emprestou o celular utilizado nesta análise.

Mais sobre: Motorola