A câmera do seu smartphone precisa captar mais luz

Três tecnologias de câmera apresentadas no MWC 2018 deixam clara a necessidade dos usuários por câmeras mais eficientes em ambientes de baixa luz

DxOMark acaba de confirmar: o Galaxy S9 possui a melhor câmera do mercado mobile. Para os que acreditam neste tipo de benchmark, e eu me incluo neste grupo, essa é uma notícia que não causa surpresa. A Samsung trouxe uma tecnologia mecânica à câmera do dispositivo, que permite aumentar e diminuir a abertura da lente usando o hardware. Porém, saiba que a fabricante sul-coreana não é a única que está caminhando na direção da inovação da câmera dos smartphones.

Durante o MWC 2018, vários foram os exemplos de como as empresas estão trabalhando para oferecer tecnologias de câmera capazes de lidar cada vez melhor com a captação de luz em ambientes escuros. A solução da Samsung foi criar um mecanismo capaz de aumentar ou diminuir a abertura da câmera entre f/1.5 (abertura grande) a f/2.4 (abertura pequena). Provavelmente fica mais fácil se você ver este mecanismo em ação:

Assim como nas câmeras DSLR, o que a Samsung está oferecendo é a chance de poder usar a mesma lente da câmera para capturar imagens em ambientes com alta e baixa luminosidade. Assim, na luz do sol, por exemplo, usando a abertura f/2.4, temos a abertura menor, mas suficiente para captar os detalhes da cena. Contudo, durante a noite, quando as condições de luz não são nada favoráveis, precisamos de uma abertura maior, f/1.5, capaz de absorver mais luz e, assim, oferecer mais detalhes à cena.

No início do ano passado, a Samsung já havia apresentado o celular flip W2018, que chegava ao mercado com a mesma característica: poder trocar a abertura de f/1.5 para f/2.4 e vice-versa. Empresas como a Motorola e Nokia já haviam usado a mesma tática no passado, mas claro, com a evolução das lentes em dispositivos móveis, o uso deste mecanismo foi aprimorado.

A solução da LG

Para se ter uma ideia da importância de recursos capazes de captar mais luz nas câmeras atuais, a Sony e a LG apostam em soluções diferentes desta, mas com o mesmo objetivo. O LG V30S ThinQ, por exemplo, oferece o Bright Mode.

A imagem abaixo foi feita no estande da LG, no MWC 2018, e mostra o mesmo aparelho, mas com configurações de câmera distintas. Ao lado direito, temos o LG V30S no Modo Brilho (ou Bright Mode), do lado esquerdo, o aparelho está no modo automático apenas. A diferença de entrada de luz é gritante, certo? Isso acontece devido ao software.

O recurso Bright Mode da LG é acionado de forma automática

No exemplo acima, o software combina 4 pixels em 1, ou seja, os 16MP da resolução máxima serão compactados em 4MP de resolução e, assim, temos um aproveitamento maior de luz advinda desta combinação. O mais bacana de tudo é que esse recurso é ativado de forma automática: assim que você entra em um ambiente escuro e aciona a câmera, o recurso começa a funcionar sem que você precise mover um dedo para tanto.

A futura solução da Sony

Já a Sony está investindo em algo para o futuro. De acordo com Ana Peretti, a Diretora de Marketing da Sony no Brasil, a empresa está trabalhando em um modulo de câmera capaz de gravar vídeos com ISO12800, recurso chamado de “fusion image signal processor”:

A Sony está investindo na pesquisa de ISO 51200 para fotos e 12800 para vídeo

Já para fotos, a empresa está investindo no desenvolvimento do ISO51200 em seus smartphones. Mais uma vez, temos aqui a intenção de trazer a lente do smartphones mais próxima das lentes intercambiáveis, como as DLSR.

A câmera do seu smartphone precisa captar mais luz

De acordo com Ana Peretti, e com base nos dados levantados pela Sony, mais de 50% das imagens capturadas pelos usuários são feitas em ambientes de pouca luz, desde lugares fechados a cenas noturnas. Ou seja, nada mais inteligente do que as fabricantes investirem na questão da entrada da luz nas lentes das atuais câmeras dos smartphones, certo? Em outras palavras:

A câmera do seu smartphone precisa captar mais luz

Seja no investimento no hardware seja no investimento em software, algo vem se tornando rotina nos novos lançamentos das fabricantes ano após ano: a câmera tem que ser melhor. Sinceramente, quando comprei meu Galaxy S8, a câmera teve uma grande importância nesta escolha e não me arrependo nem um pouco, pelo contrário.

E para você: qual é o peso da câmera na hora da escolha de um smartphone? Você acredita que uma lente melhor possa lhe fazer escolher um aparelho em detrimento de outro?