LG VELVET: a elegância está de volta [Review]

O LG VELVET é um smartphone top de linha retrô no bom sentido: ele traz de volta o design super fino (que anda sumido por conta das baterias enormes), o chipset Snapdragon 845 (que é de 2018, mas continua muito bom), a tela com bordas curvas (que a Samsung vem deixando de usar), e até a entrada padrão para fones de ouvido, que muitas fabricantes insistem em abandonar.

O legal é que o preço no Brasil também é de top de 2018, ou seja, R$ 3.500 no varejo e R$ 2.500 nas operadoras, bem abaixo dos valores acima de R$ 6.000 praticados pela concorrência no meio de uma depressão econômica.

Se você está pensando em comprar o modelo, vem comigo nessa análise completa, onde eu vou contar tudo o que achei dele depois de algumas semanas de uso.

Tá com muita pressa? Então confira abaixo a minha lista de prós e contras, ou vá direto para:

Prós e contras

Prós

  • Design caprichado e acabamento de primeira;
  • Tela excelente;
  • Velocidade e fluidez em tudo;
  • Câmeras competentes;
  • Boa duração de bateria e carregamento wireless;
  • Alto falantes estéreo e microfones de alto desempenho;
  • É à prova d’água.

Contras

  • Câmera principal sem estabilização óptica;
  • Processador de 2018;
  • Não vem com fones de ouvido.
LG VELVET é bom? Vale a pena? [Review] - Mobizoo

Ficha técnica

  • Modelo LM-G910;
  • Android 10;
  • Tela P-OLED de 6,8 polegadas Full HD+ (1080 x 2460);
  • Chipset Snapdragon 845 octa-core 2,8 GHz (10 nm);
  • GPU Adreno 630;
  • 6 GB de memória RAM;
  • 128 de armazenamento interno (expansível);
  • Certificação Militar de resistência MIL-STD-810G;
  • Certificação IP68 – à prova d’água;
  • Câmera traseira tripla:
    48 MP wide f/1.8 com autofoco PDAF e tecnologia quad-pixel;
    8 MP ultrawide f/2.2;
    5 MP sensor de profundidade f/2.4;
  • Câmera frontal de 16 MP f/1.9;
  • Gravação de vídeo 4K a 30 fps com estabilização eletrônica (EIS);
  • Leitor de impressão digital na tela (óptico);
  • Bluetooth 5.1;
  • A-GPS;
  • NFC;
  • Rádio FM;
  • USB tipo C com OTG;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, giroscópio, magnetômetro (bússola), barômetro;
  • Bateria de 4300 mAh com carregamento rápido (15w) e carregamento sem fio (9w).

Unboxing [vídeo]

Design e tela

Basta um contato rápido com o LG VELVET para perceber que ele é um smartphone premium em todos os aspectos, e diferente de tudo que a LG já lançou no segmento.

A construção em vidro Gorilla Glass 5 e metal com acabamento cromado chama atenção, e as bordas curvas simétricas na tela e na traseira se encontram de forma bastante aguda nas laterais, tornando o perfil do modelo super fino, e a pegada extremamente confortável.

Pegar o VELVET peladinho, sem capa, é gostoso de um jeito que há muito tempo eu não sentia. ( ͡ᵔ ͜ʖ ͡ᵔ )

A belíssima tela de 6,8 polegadas com tecnologia P-OLED possui proporção de cinema (mais alta e fina), e como quase não tem nenhuma borda no entorno, oferece grande imersão para consumo de vídeos e games. Aliás, os alto falantes estéreo do modelo completam a experiência.

Mas atenção: o VELVET é bem compridão, e com certeza vai ficar sobrando no bolso do seu shortinho de ficar em casa na quarentena.

LG VELVET - tela

Falar da qualidade desse display é só alegria.

O painel do modelo exibe cores vibrantes, brancos bem calibrados e preto profundo (como em todo bom OLED), e o brilho é forte o suficiente para você enxergar direitinho o mapa do Waze no parabrisa ensolarado do seu Uber.

A tela ainda conta com um leitor de impressões digitais que funciona bem, mas não tão bem quanto um tradicional, já que ele não é nem tão rápido, e nem tão preciso.

Eu não sou um grande fã de telas curvas, mas vou te dizer: essa aí me conquistou.

Câmeras

O conjunto de câmeras do LG VELVET não é tão completo como os vistos na concorrência, mas ele foca no que realmente importa pro usuário padrão: um sensor principal de 48 MP f/1.8 da Samsung (ora, ora!?) com tecnologia Quad Pixel e Visão Noturna + uma lente ultrawide de 8 MP + um sensor de profundidade (para o Modo Retrato) + uma frontal de 16 MP com abertura f/1.9.

A minha principal queixa antes de começar a usar o aparelho era a ausência da estabilização óptica (OIS) na câmera principal, mas depois de muitos cliques, eu percebi que ela não chega a fazer falta, por conta da eficiente estabilização eletrônica (EIS) presente no modelo.

Como eu tirei isso a limpo? Fiz uma série de fotos dentro de um carro em movimento numa rua esburacada, e TODAS saíram com foco.

Com essa treta superada, vamos às fotografias que eu fiz com o dispositivo. Começando com a lente principal em condições de boa luz e HDR ativado:

Teste de câmera - LG VELVET Teste de câmera - LG VELVET Teste de câmera - LG VELVET

Agora num dia mais nublado:

Teste de câmera - LG VELVET Teste de câmera - LG VELVET Teste de câmera - LG VELVET

E finalmente, um comparativo com a mesma captura, primeiro pela lente principal:

Teste de câmera - LG VELVET

E segundo, pela ultrawide:

Teste de câmera - LG VELVET

Como você pode ver, não há uma grande queda de qualidade quando usamos a ultrawide em condições favoráveis, mas obviamente a câmera principal fará um trabalho melhor em termos de definição e contraste dinâmico quando a situação de luz for mais desafiadora.

E falando em situação desafiadora, agora vamos para o escurinho.

O LG VELVET possui um Modo Noturno regulável – algo que não é muito comum –, e desta forma o usuário pode calibrar sua foto no escuro para que ela fique iluminada, mas sem aquele aspecto artificial ou “forçado”, comum em outros dispositivos.

Teste de câmera - LG VELVET

O resultado é ok, como você pode ver acima, mas eu ainda prefiro usar o Modo Profissional (ou Manual) presente no modelo, para conseguir um resultado mais realista, que representa exatamente o que meus olhos enxergavam no momento. Veja:

Teste de câmera - LG VELVET

A câmera frontal do VELVET faz selfies muito bonitas, com destaque para a cor da pele de quem está sendo fotografado.

Negros, brancos, vermelhos, amarelos, não importa a sua cor. O pós-processamento da LG vai te deixar lindão/lindona, sem aquele aspecto “boneco de cera” que a Samsung e a Xiaomi colocam em seus celulares.

Teste de câmera - LG VELVET
Para ver as fotos em tamanho original, acesse o Google Drive do Mobizoo.

Teste de desempenho [vídeo]

Em termos de hardware o modelo não impressiona, mas também não decepciona.

Colocar um Snapdragon 865 com 5G iria encarecer demais o aparelho, e por isso a fabricante optou pelo Snapdragon 845; modelo de 2 anos atrás que ainda dá conta do recado para 99,99% dos usuários, ainda mais trabalhando com os 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento que completam o conjunto.

Parafraseando o colega Rudy Caro em seu ótimo Review; o Snapdragon 845 não é um velho, é um veterano. Ele já percorreu uma longa estrada e otimizou tudo o que tinha que otimizar nesses 2 anos, e por isso roda com tranquilidade todos os games mais pesados da Play Store nas configurações máximas de qualidade, e o melhor: tudo isso sem sacrificar a bateria.

Nas tarefas do dia a dia, tudo “suave na nave” com rápida alternância entre apps, fluidez absoluta nas rolagens de tela, e nenhum engasgo ou travamento durante as minhas semanas de uso.

A pontuação do VELVET nos testes de benchmark pode não ser a maior, mas a estabilidade e a confiabilidade do produto estão entre as melhores que eu vi esse ano.

Pontuação no Antutu Benchmark

LG VELVET: pontuação no Antutu

Bateria

A bateria de 4300 mAh do LG VELVET aliada ao excepcional gerenciamento de energia do chipset Snapdragon 845 não tinha como dar errado.

Durante as minhas semanas de uso foi fácil conseguir 2 dias inteiros longe da tomada com uso moderado, e mesmo nos dias com muitos jogos, fotos e streaming, o dispositivo se saiu bem, deixando sempre uns 30% de carga no fim do dia.

É um resultado bem superior ao do Galaxy S20, por exemplo, mas ainda há margem para melhorias.

O modo Always On Display do VELVET gasta uma quantidade considerável de bateria durante à noite, pois que não baixa seu brilho para um nível mínimo, então é recomendável que a LG inclua esse ajuste numa próxima atualização.

O carregador de 15w que acompanha o modelo é até bem rápido, conseguindo levar o aparelho de 10 a 100% em menos de 2 horas, e se você quiser, ainda pode usar um carregador wireless.

Áudio

A LG sempre capricha na qualidade de áudio de seus smartphones topos de linha, e com o LG VELVET não foi diferente.

O modelo possui dois alto falantes que trabalham em conjunto para oferecer um som estéreo bastante envolvente e encorpado, com graves presentes e agudos equilibrados, e força suficiente para fazer o dispositivo vibrar.

Os microfones também merecem destaque, já que são componentes alta sensibilidade, capazes de capturas ricas em detalhes, ideais para gravações de ASMR, por exemplo. Aliás, há um modo no gravador nativo dedicado para isso.

Mas… tem sempre aquele porém pra tirar um pontinho do aparelho, não é mesmo?

Pois é, dessa vez estamos falando dos fones de ouvido, que simplesmente NÃO vêm na caixa do produto. Aí não dá nem pra eu avaliar, né?

Veredito

É difícil não gostar do LG VELVET.

Mesmo não concorrendo diretamente com os aparelhos mais caros de 2020, ele entrega sim uma experiência premium em todos os sentidos; com design e acabamento sofisticados, hardware que roda tudo muito bem, câmeras que fazem boas fotos, tela de primeiríssima qualidade, áudio estéreo, e bateria que não te deixa na mão.

Ele não é um LG G9, e sim uma espécie de LG G7 ThinQ reformulado para 2020, já que conta com o mesmo chipset do modelo de 2018, porém adiciona mais RAM e armazenamento, tela P-OLED muito superior (e com biometria incorporada), câmeras atualizadas, além do design mais elegante. Por isso mesmo, para valer a pena, ele não deve ser comprado pelo seu preço cheio, de R$ 4.299.

Nas operadoras já é possível comprar o modelo por R$ 2.500 em planos bastante acessíveis, e nesse caso ele é sim uma excelente compra.

“Ah, mas o Galaxy S10 Lite têm ótimas câmeras, hardware superior e tela Super AMOLED pelo mesmo valor”, você pode dizer.

Mas na real, o top acessível da Samsung perde a disputa por não ser à prova d’água, por não ter som estéreo e nem carregamento sem fio, e ainda pelo acabamento inferior.

Se você não se importa com números de benchmark, o VELVET ganha no conjunto da obra.

“Nem só de motor vive o carro, nem só de processador vive o celular”
– Confúcio

O LG VELVET não possui os erros das gerações anteriores de tops da LG – como aquele notch imenso (e inútil) do LG G8s ThinQ, e só deixou de lado algumas tecnologias recentes que iriam encarecer demais o produto, como uma tela de 120Hz.

O importante é que a fabricante manteve todos aqueles itens obrigatórios num top de linha, fazendo dele uma excelente opção para quem busca um smartphone premium, mas não quer esvaziar o cofrinho.

Conclusão: o novo top acessível da LG está indo na direção certa, e eu mal posso esperar pela próxima geração.

Por isso, meu veredito é:

Ainda não conhece a escala memética de avaliação do Mobizoo? Então veja como fazemos nossas análises de celular.

Deixo o meu agradecimento à assessoria da LG, que gentilmente emprestou o celular utilizado nesta análise.

Mais sobre: LG