LG K52: muita bateria e conforto num celular fraco [Review]

Por conta do nome, o LG K52 pode parecer um sucessor do K51S, mas não se confunda: na verdade, ele está mais para um upgrade do K41S.

Afinal, o K52 possui o mesmo chipset Helio P22 do modelo de entrada anterior, a mesma memória RAM, a mesma bateria, e a mesma quantidade de câmeras, mudando apenas o design e o armazenamento interno, que saltou de 32 para 64 GB.

Mas, será que essa remodelagem foi suficiente para torná-lo melhor que o K41S? E como ele se sai frente à concorrência? Essas e outras respostas você encontra nesse review.

Tá com muita pressa? Então confira abaixo a minha lista de prós e contras, ou vá direto para:

Prós e contras

Prós

  • Design confortável;
  • A bateria dura muito (8h30 de tela);
  • Tem 4G+ (muitos concorrentes não tem).

Contras

  • Tela com cores mortinhas e baixa visibilidade ao ar livre;
  • Câmeras fracas e HDR inexistente;
  • Desempenho abaixo da concorrência;
  • Não tem NFC.
LG K52 é bom? Vale a pena? [Review] - Mobizoo

Ficha técnica

  • Modelo LM-K420BMW;
  • Android 10;
  • 4G+ Dual Chip;
  • Tela TFT HD+ de 6,6 polegadas (720 x 1600 px);
  • Processador Octa Core 2.3 GHz MediaTek Helio P35 (MT6765);
  • GPU PowerVR GE8320;
  • 3 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno;
  • Entrada para micro SD;
  • Câmera traseira quádrupla:
    13 MP f/2.2 – wide com autofoco PDAF e Quad Pixel;
    5 MP f/2.2 – ultrawide;
    2 MP f/2.2 – macro;
    2 MP f/2.4 – sensor de profundidade;
  • Câmera frontal wide de 8 MP f/2.0;
  • Gravação de vídeo Full HD;
  • Otimização de áudio Dts-X;
  • Certificação de resistência militar;
  • Leitor de impressão digital lateral;
  • Rádio FM;
  • USB Tipo C;
  • Bluetooth 5;
  • Bateria de 4000 mAh.

Unboxing

Design e tela

Todos os aparelhos mais recentes da linha K (52, 62 e 62+) possuem a mesma identidade visual – tela com poucas bordas e buraquinho centralizado para a câmera frontal, câmera traseira estilo cooktop, e leitor de impressão digital lateral –, mas o K52 tem um item que destoa dos demais: a tampa traseira ondulada.

Se você não costuma usar capinha, essas ondas realmente são úteis para apoio dos dedos, e se você usa, nem vai lembrar que elas existem. Sendo assim, esse elemento não chega a ser um problema.

Com isso resolvido, posso dizer que minha experiência usando o bichinho todos os dias foi muito positiva, já que o K52 oferece o mesmo conforto dos irmãos mais caros K62 e K62+.

O aparelho é mais leve e mais fino que a maioria dos concorrentes na mesma faixa de preço, e sua tela mais estreita e alta (20:9) oferece uma boa pegada para quem gosta de usar o celular com apenas uma mão.

LG K52 - tela

E se o K52 possui as mesmas virtudes dos irmãos em termos de design, também carrega os mesmos defeitos quando o assunto é qualidade da tela.

A tela é rigorosamente a mesma nos três modelos, com o mesmo brilho insuficiente para uso ao ar livre, cores sem vida e nenhuma opção de calibragem no sistema.

Bom, pelo menos o ajuste de brilho automático dos três modelos é muito preciso, evitando que você tome aquele canhão de luz na cara quando vai olhar o celular no escurinho.

Câmeras

O LG K41S me surpreendeu ao apresentar câmeras bem competentes, mesmo sendo o mais barato da linha, então eu estava com boas expectativas para o K52. Infelizmente, o que veio foi decepção.

As fotos feitas com o LG K52 são inferiores às do K41S e ficam abaixo do esperado para essa faixa de preço, com HDR que não funciona, cores mortinhas no modo normal – e estranhamente saturadas no modo AI Cam –, lente ultrawide fraquinha, e macro pior ainda.

Pra não ficar parecendo implicância, vamos aos exemplos.

Começando pela câmera principal em condições de boa luz, veja como alcance dinâmico é precário (porque o HDR não funciona), e as cores sem vida:

Teste de câmera - LG K52 Teste de câmera - LG K52 Teste de câmera - LG K52 Teste de câmera - LG K52

Pegando a foto acima como referência (Praia Vermelha, Rio de Janeiro), veja o que acontece quando a mesma imagem é capturada no modo AI Cam:

Teste de câmera - LG K52

Todas as cores foram forçadamente saturadas, as áreas escuras perderam a pouca definição que tinham (repare a rocha do Pão de Açúcar), e a mata mais ao fundo, que na primeira foto estava corretamente representada (com tom azulado gerado pela massa de ar + distância), ficou bizarramente esverdeada.

E o pior: o alcance dinâmico não melhorou em nada.

Teste de câmera - LG K52

Agora vamos comparar a lente principal (acima), com a lente ultrawide (abaixo).

Teste de câmera - LG K52

Repare como na ultrawide o céu ficou lilás (aberração cromática), as árvores e a rocha ficaram mais escuros, e os cantos da imagem ficaram borrados e indefinidos.

Teste de câmera - LG K52

Nesse outro comparativo, veja que interessante: a ultrawide (abaixo) ficou com as áreas escuras mais claras que na principal (acima), mas a definição dela ficou terrível (veja a imagem em tamanho original no seu computador) (link no final da seção).

E o céu? Bem, o céu sumiu nas duas.

Teste de câmera - LG K52

Quer mais uma da ultrawide pra ter certeza de que ela é fraquinha? Então taí:

Teste de câmera - LG K52

Tá, chega de ultrawide, vamos para essa maravilha da tecnologia que é a câmera macro em celular de entrada:

Teste de câmera - LG K52

Agora me responde: pra quê gastar na macro o que poderia ser investido em outra parte do celular? Já que a lente principal faz essa foto:

Teste de câmera - LG K52

Gosta de tirar fotos noturnas? Então é melhor ver os modelos da Motorola com 48 MP e Night Vision (Moto G9 Play ou Moto E7 Plus), pois as fotos em ambientes mais escuros com o K52 vão no máximo quebrar um galho, e olhe lá.

Falta definição, sobra ruído, e o aspecto geral da imagem é bem “mé”:

Teste de câmera - LG K52

Pelo menos nas selfies o K52 é um pouquinho melhor, mostrando até mais do que deveria do meu bad skin day (o verão do Rio é terrível pra minha pele, desculpa aê!).

Teste de câmera - LG K52

O Modo Retrato não faz recortes entre planos tão bons quanto nos modelos mais caros, mas está aceitável nessa faixa de preço.

Ele não borrou a extremidade do meu Ray Ban, mas colocou um pedacinho de árvore ali.

Teste de câmera - LG K52

Importante: só tirei minha máscara para fazer essas 2 fotos, porque com a máscara o autofoco não estava reconhecendo meu rosto.

Para ver as fotos deste review em tamanho original, acesse o Google Drive do Mobizoo.

Teste de desempenho [vídeo]

Se você busca um celular entre 1.000 e 1.200 reais que ofereça bom desempenho para jogos pesados, eu não recomendo o LG K52.

O modelo conta com um processador que, além de básico, está ultrapassado (MediaTek Helio P22), e por isso engasga até em jogos com gráficos mais simples, como PK XD.

No vídeo abaixo você confere os testes que fiz com o modelo:

Agora, se você não liga para jogos e faz um uso mais básico do celular, o modelo pode sim resolver sua vida, desde que você não gaste mais que R$ 1.000 nele.

Os 3 GB de RAM do K52 oferecem boa velocidade na abertura e alternância de apps, o hardware entrega boa fluidez para redes sociais, mapas e serviços, a bateria dura muito (já já falo disso), e o modelo ainda se conecta às redes 4G+ – coisa que muito concorrente não faz.

Tem celular mais rápido que ele? Ô se tem! É só olhar os resultados de benchmark abaixo. Mas… pode ser que o K52 atenda às suas necessidades, e principalmente; seu orçamento.

Pontuação Antutu Benchmark

LG K52 - Antutu

Bateria

Depois de tantas críticas, finalmente chegamos ao item que vai te deixar muito feliz com o LG K52: a bateria.

Durante o tempo que passei com o aparelho, foi bem tranquilo ficar mais de dois dias inteiros sem precisar recarregar, algo realmente impressionante para um modelo com 4000 mAh de capacidade.

Tem muito aparelho de 5000 mAh por aí que não consegue esse resultado, então provavelmente o mérito é da combinação hardware eficiente + tela econômica que a LG fez.

O K52 apresentou consumo bem baixo mesmo quando eu assisti uma sequência de vídeos no YouTube, e chegou à um verdadeiro recorde no tempo de ativa. Olha isso:

LG K52 - Bateria

Ah, e para encerrar; o carregador de 10W que vem com o K52 não faz feio não. Não é ultra rápido, mas é bem dimensionado para a capacidade do modelo.

Áudio

Como já era de se esperar, o K52 não é um primor de celular para quem curte um “sonzão”.

O alto falante principal do modelo é daqueles bem básicos, com volume apenas ok, nenhum grave, e médios um tanto estridentes.

Os fones de ouvido que vêm na caixa quebram um galho para quem não é muito exigente, e ficam até bem decentes com o recurso “Som 3D LG” ativado, mas não espere um bom isolamento ou graves encorpados no acessório.

Veredito

O LG K52 possui duas grandes virtudes: seu design gostoso de usar, e sua bateria de longuíssima duração. Tirando isso, todos os outros itens que eu avaliei no modelo transitam entre o mediano (tela) e o ruim (câmeras).

A sorte dele é ser o único celular com 64 GB de armazenamento que você pode encontrar abaixo dos R$ 1.000 atualmente (e de forma oficial) no Brasil.

Desta forma, o modelo torna-se a única opção viável para quem busca mais espaço pros seus arquivos, grande autonomia e conforto nessa faixa de preço.

As câmeras do K41S apresentaram resultados melhores nos meus testes, então, como o conjunto é o mesmo, pode ser que ainda haja esperança nesse quesito para o K52, se a LG lançar uma atualização que melhore o HDR e o pós-processamento do modelo.

Enquanto isso não acontece, vale mais a pena botar um dinheirinho extra para levar o Moto G9 Play – que tem hardware muito superior –, do que economizar para ficar com um aparelho que é, no máximo:

bacana

Ainda não conhece a escala memética de avaliação do Mobizoo? Então veja como fazemos nossas análises de celular.

Deixo o meu agradecimento à assessoria da LG, que gentilmente emprestou o celular utilizado nesta análise.

Mais sobre: LG