5 motivos para não comprar o Galaxy J5 Prime

A Samsung lançou no mês passado o Galaxy J5 Prime, colocando no mercado mais uma opção de celular na já disputadíssima faixa dos R$ 999, e deixando no ar a dúvida se o Galaxy J5 2017 de fato virá para o Brasil.

Mas apesar de finalmente trazer para a família J5 o tão esperado leitor de impressão digital frontal e o acabamento premium totalmente feito em alumínio – no J5 Metal só a moldura é de metal –, o J5 Prime apresenta hardware defasado que não empolga frente aos principais concorrentes, e ainda tem preço bastante alto para o que oferece (pelo menos por enquanto).

Depois de alguns testes e comparações com outros modelos disponíveis na categoria, eu montei uma lista com os principais motivos pelos quais eu não recomendo a compra deste smartphone, e você confere tudinho agora.

Galaxy J5 Prime

Estas são as razões pelas quais você não deve comprar o Galaxy J5 Prime

1º – A tela

Como se já não bastasse o fato da tela do Galaxy J5 Prime ser apenas HD, enquanto a do Moto G5, por exemplo, é Full HD, ela ainda perdeu um dos principais diferenciais da Samsung em relação aos concorrentes, que é a tecnologia AMOLED.

Assim como no irmão maior Galaxy J7 Prime a Samsung optou por colocar neste novo J5 um painel com tecnologia TFT, muito provavelmente para baixar custos, perdendo bastante qualidade em termos de contraste, cores e ângulos de visão.

2 º – Android desatualizado de fábrica

Aqui a história se repete: enquanto diversos aparelhos da categoria lançados em 2017 já saem de fábrica com Android 7, inacreditavelmente o Galaxy J5 Prime foi lançado, em pleno meio do ano, ainda com Android 6.

3º – Bateria

O LG K10 Power traz bateria de 4400 mAh, o Moto E4 Plus 5000 mAh, e o Asus Zenfone 3 Max 4130 mAh.

Agora, sabe quanto o Galaxy J5 Prime tem de capacidade de carga? Apenas 2400 mAh.

Resumindo: ou a Samsung ignorou a forte tendência por baterias maiores, ou está escondendo alguma mágica de otimização.

4º – Faltam sensores

É até difícil acreditar, mas para manter o preço baixo a Samsung deixou de colocar uma porção de sensores importantes em seu dispositivo, e por isso o Galaxy J5 Prime NÃO conta com: bússola/magnetômetro, sensor de luminosidade (para ajuste automático da tela) e giroscópio.

5º – O preço

Eu sei, eu sei; foi bacana a Samsung ter colocado finalmente 32 GB de armazenamento num J5, mas cara, R$ 999 num smartphone tão “capado” como esse? Fica difícil defender.

Pode ser que esse cenário mude nos próximos meses com uma possível queda de preço, mas hoje o que temos é um modelo que, na minha opinião, vale no máximo R$ 800, mas cobra mil.

E você, também ficou decepcionado(a) com o Galaxy J5 Prime? Compartilhe com a gente suas opiniões nos comentários!

Mais sobre: galaxy samsung

Apoie o conteúdo que você ama!

Desative o seu bloqueador de anúncios e nos ajude a manter o site :)