The East New World traz a nostalgia e simplicidade dos 16 bits

A simplicidade nos jogos está em falta hoje em dia. As produtoras tendem a ”atolar” seus jogos um montão de comandos, mas de vez em quando surgem pérolas como The East New World, um verdadeiro revival dos tempos da jogatina simples nos 16 bits.

O game em estilo “capa e espada” conta com grande capricho visual, trilha sonora altamente nostálgica, toneladas de desafios, e chefões à moda Mega Man.

Eu não sei você, mas eu estava sentindo falta de um bom game nesse estilo.

The East New World

Toda a história triste, começa em um mau tempo

No mundo do game você controla Buta, um samurai que carrega uma espada com o dobro do seu tamanho e vivia tranquilo e feliz em um reino chamado “The Warriors’ Kingdom” (O Reino dos Guerreiros).

Nesse país, as pessoas eram fortes e corajosas. Porém, o seu rei fez algo terrível: vendeu a alma para uma espírito maligno que transformou todos os bravos guerreiros em assassinos cruéis que foram obrigados a aceitar missões de execução. No entanto Icy, esposa de Buta, se rebela contra essas ordens de matança e acaba sendo morta por um dos habitantes. E é nesse ponto que você entra: após a morte de Icy, o personagem principal Buta, promete vingança.

Sim, The East New World tem uma história completamente clichê. Mas isso não torna o game menos desafiador.

The East New World

Gameplay simplificado

Como citado anteriormente, o gameplay é bem simples: você pode pular, golpear os inimigos com uma espada e disparar magias. Não existe mais nenhum comando além desses, mas só eles já são suficientes para derrotar inimigos, colecionar tesouros e desbloquear o game por completo.

Pode parecer inusitado, mas o game ainda conta com um sistema de decoração. No inicio do jogo é possível entrar na casa da namorada do personagem principal, e decorá-la com alguns itens coletados durante as fases, deixando-a do nosso “jetinho”.

Para compensar a simplicidade do game, temos alguns elementos de RPG: níveis, equipamentos e a possibilidade de aprender novas habilidades estão presentes como uma forma de melhorar o personagem a superar as partes difíceis. Mesmo com todos esses elementos, pode ter certeza de que você irá morrer muito e irá preferir evitar lutas contra certos inimigos e procurar outras alternativas.

Nostalgia 16 bits

Além de difícil, outro ponto que torna o jogo bastante atrativo é sua arte. O game possui gráficos em estilo Pixel Art executados da melhor maneira possível, e tanto o cenário quanto os personagens são muito bem coloridos e detalhados. A música é boa, relembrando os tempos de Super Mario World, porém a mesma toca em várias fases seguidas, o que faz que você enjoe depois de um tempo.

The East New World

The East New World, vale a pena?

Se você tem saudades de um gameplay simplificado no seu dia-a-dia, The East New World é para você.

Apesar da dificuldade elevada em alguns pontos – que certamente fará você levar muitos golpes durante a jogatina, o game está longe de ser impossível de terminar, já que oferece os recursos necessários para você passar pelos desafios fazendo o menor esforço possível.

A trilha sonora não é lá essas coisas e a tradução para o inglês ficou com alguns errinhos (a produtora é chinesa), mas a jogabilidade e os gráficos de primeira do jogo fazem ele valer o download.

The East New World está disponível para Android, de graça, e para iOS, custando U$ 2,99 trumps. Também existe a versão para PC, que pode ser comprada na Steam.

Mais sobre: ios