O que é Edge Computing?

É interessante a gente perceber como as coisas evoluem na era digital. No caso da hospedagem de sites, por exemplo, antigamente ter um site era uma opção a mais para o Marketing de um negócio. Hoje em dia já é uma questão de sobrevivência no mercado.

Os próprios serviços de hospedagem de site evoluem. Repare que quando a hospedagem compartilhada já não dá mais conta, o passo seguinte é fazer um upgrade para um serviço com mais recursos, tais como a hospedagem Cloud ou servidor VPS.

O servidor VPS, por exemplo, apresenta mais liberdade e poder de gerenciamento para quem deseja ter projetos web mais independentes e com mais poder de processamento.

A Internet das Coisas é outro ponto fundamental da era digital, conectando todos os dispositivos das casas, cidades e empresas, mas essa revolução não para por aí.

A Edge Computing é um passo adiante da IoT, e nesse artigo você irá saber tudo sobre esse tema.

Edge Computing: o que é, como funciona e quais as vantagens - Mobizoo

O que é de fato Edge Computing?

Para entender melhor o que essa tal de Edge Computing, é interessante começar pela tradução do nome. “Edge” vem do inglês e significa “borda”, “beirada”.

Sendo assim, essa tal “Computação de Borda” é aquela em que o processamento acontece no local físico ou perto, bem “nos limites” do usuário ou da fonte de dados.

Diante disso, a Edge Computing melhora a utilização dos dispositivos eletrônicos que podem ser conectados à internet, pois ela consegue efetuar a aproximação da fonte dos dados coletados.

Desse modo, o processamento acontece o mais próximo possível do local do usuário ou da fonte de dados. Por isso, a Edge Computing consegue reduzir a necessidade de enviar dados demasiadamente distantes entre o dispositivo e o servidor, diminuindo a latência e demandando menor largura de banda de internet.

Entenda como a Edge Computing funciona

Falando assim fica difícil de entender, mas para facilitar, pense no funcionamento da Internet das Coisas.

O processamento e o recolhimento de dados são realizados por meio dos dispositivos conectados. Eles reúnem o que foi coletado e assim os dados armazenados são enviados para um centro de processamento, que é a popular “Nuvem”, também chamada de Cloud.

No caso da Edge Computing, os dados não são enviados para a Nuvem. Eles são classificados de forma local, separados daqueles que podem ser processados ali mesmo. Uma das vantagens é a redução do tráfego de dados.

Portanto, esses dados são processados nos extremos de uma rede e apenas uma parte é enviada para os diretórios centrais. Sacou agora o porquê da Edge Computing receber esse nome?

Conheça algumas das principais vantagens da Edge Computing

Os benefícios que a Edge Computing irá proporcionar no dia a dia são vários. Entre os principais é possível mencionar alguns a seguir.

Velocidade na conexão

Ainda que plataformas de cloud computing tenham bons centros de processamentos de dados centrais, o tráfego recebido é elevado e constante. Isso resulta na famigerada latência.

Além disso, aumenta o tempo de inatividade dos dispositivos, visto que eles necessitam aguardar o processamento dos dados enviados para prosseguir funcionando.

Com a Computação de Borda a necessidade de transmitir informações a longas distâncias diminui de maneira considerável. O resultado disso é uma maior velocidade na resposta para os dispositivos de IoT.

Segurança digital

Em tempos de era digital e, especialmente, da grande relevância que os dados apresentaram no decorrer dos anos, protegê-los se tornou fundamental.

O motivo para isso é o fato de que a Edge Computing diminui o perigo de exposição de dados confidenciais. Portanto, graças a essa tecnologia, as organizações começam a assegurar um amplo controle das informações armazenadas e compartilhadas.

Além do mais, passam também a agir em conformidade com a LGPD, a Lei Geral de Proteção dos Dados.

Maior integração

A Edge Computing permite uma maior e melhor integração entre os equipamentos. Isso ocorre porque ela possibilita conectar dispositivos de diferentes características em uma mesma rede.

Menor custo

A Edge Computing proporciona a redução dos gastos na implementação, pois os equipamentos podem ser substituídos de forma pontual e total.

Ao assegurar os envios de dados de computação localmente, as instalações regionais, por exemplo, estão aptas a prosseguir operando de modo independente, ainda que ocorra uma interrupção na operação da instalação principal.

Os gastos da largura de banda para proporcionar a movimentação dos dados entre as instalações principais e regionais diminui quando o processamento é colocado perto da fonte.

Viabilidade para a área dos games

A Edge Computing pode gerar uma redução dos atrasos que acontecem nas ações de um game online como o League of Legends, principalmente naquelas etapas onde ocorrem mais lutas e cenas de batalha.

Diante da Computação de Borda, a ação ganhará mais fluidez e mais facilidade de imersão do jogador. Além disso, haverá menor necessidade de dependência da Cloud Computing e, por consequência, redução de recursos.

Como implementar a Edge Computing

Saiba como aplicar a Edge Computing em seu negócio

Mas afinal, diante de tantas vantagens, como fazer para implementar a Edge Computing em um negócio?

Inicialmente, é necessário adotar uma cultura no TI que viabilize a implantação da tecnologia de Edge Computing.

Em seguida, é ideal elaborar microcentros de dados e achar parceiros qualificados, aptos para auxiliar a adoção dessa nova mentalidade na empresa.

Também é fundamental diminuir o uso exacerbado da Computação em Nuvem e viabilizar a segurança necessária para aumentar a proteção dos seus dados.

Contudo, é pertinente ainda ter à disposição algumas tecnologias de proteção para Edge Computing, como, por exemplo, o VPN, que deve ser utilizado para assegurar a proteção do sistema.

Uma situação onde a Edge Computing mostra o quanto pode ajudar um negócio é na utilização de tecnologias como Realidade Virtual e Realidade Aumentada, em que normalmente são prejudicadas diante da latência elevada.

Por conta disso, é comum que os usuários dessas tecnologias notem certa lentidão no processamento. Isso prejudica demais a imersão no conteúdo. Portanto, empresas que utilizam a RV e a RA como estratégia de Marketing podem se beneficiar com a Computação de Borda.

Fique por dentro dos desafios da Edge Computing na atualidade

Os segmentos de negócio que podem se beneficiar da Edge Computing são vários. Eles vão desde a indústria têxtil, das instituições financeiras, das universidades por meio do Ensino à Distância, as lojas virtuais e também a área da saúde.

Em tempos digitais e de Internet das Coisas (em que um smartphone pode solucionar vários problemas e ainda conectar o cliente com as empresas) uma tecnologia como a Cloud Computing faz toda a diferença.

No entanto, por ainda ser uma tecnologia que ainda engatinhando, há alguns desafios para implantá-la de forma imediata. Entenda mais abaixo.

Pouco conhecimento técnico

Nem todos os profissionais contam com uma especialização voltada para a Computação de Borda. Sendo assim, caso ocorra alguma falha, essa falta de pessoal especializado pode ser um empecilho.

Escalabilidade

Empresas consideradas de pequeno e médio porte poderão sentir uma certa dificuldade ao ter que administrar gastos de locais físicos.

Novidade

Por ainda se tratar de uma tecnologia nova e que necessita de um conhecimento mais aprofundado, nem todas as empresas se sentem aptas a adotar a Computação de Borda ainda.

Será o fim da Computação em Nuvem?

Eis aí uma pergunta interessante. Se alguém ousar responder com exatidão poderá estar mentindo. Para proclamar com 100% de certeza o fim de uma tecnologia seria necessário contar com uma bola de cristal.

No entanto, sem mágica, mas baseado no que vemos diante de nossos olhos, é possível que em um primeiro momento, Cloud e Edge Computing andam de mãos dadas.

Sendo assim, quando houver a necessidade de coletar dados que estão armazenados na nuvem, eles poderão ser trazidos para a borda. Porém, nos dias de hoje, a gente já nota que há um excesso de dados nas redes, provocando um congestionamento.

Portanto, quanto mais a capacidade computacional vai para as beiradas, algumas pessoas já acreditam no fim da nuvem, pois os dados passarão a ir para as extremidades. Mas quando se trata de tecnologia, apenas o futuro vai dizer quem tem razão.

O fato é que a Edge Computing traz muitas vantagens

Ela é uma evolução da tecnologia, assim como o servidor VPS, por exemplo, que é uma evolução no segmento da hospedagem de sites e possui que uma hospedagem Compartilhada.

A Computação de Borda auxilia os casos que não podem ser sanados com a abordagem centralizada da Cloud Computing.

Isso porque atua em vários pequenos locais de computação, reduzindo os custos da rede, evitando limites de largura de banda, eliminando a latência e trazendo maior proteção sobre a movimentação de dados confidenciais.

Portanto, é bom manter um olho apontado para as nuvens e outro para o horizonte. Tudo indica é que o futuro também vai estar nas extremidades.

Imagens: Pixabay

Mais sobre: redes