Redmi Note 9: perdido na selva [Review]

Black Friday 2020 Mobizoo

Basta dar uma olhada no Google Trends para comprovar: o Xiaomi Redmi Note 9 é o celular mais buscado no Brasil em 2020. Mas, será que ele merece toda essa fama?

Eu comprei a versão com 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento para tirar a prova, nesse review completo vou contar tudo o que achei dele depois de algumas semanas de uso.

Tá com muita pressa? Então confira abaixo a minha lista de prós e contras, ou vá direto para:

Prós e contras

Prós

  • Tela de excelente qualidade;
  • Bom desempenho;
  • Boas câmeras;
  • Carregador de 20w na caixa.

Contras

  • Bugs na MIUI 12;
  • Sem NFC;
  • Som fraquinho;
  • A bateria poderia ser melhor.
Xiaomi Redmi Note 9 - traseira

Ficha técnica

  • Android 10 com MIUI 11 (atualizável para MIUI 12);
  • Tela IPS LCD de 6,53 polegadas Full HD+ (1080 x 2340) (395 ppi);
  • Chipset MediaTek Helio G85 octa core 2.0 GHz;
  • GPU Mali-G52 MC2;
  • 3 ou 4 GB de memória RAM;
  • 64 ou 128 GB de armazenamento interno, expansível com micro SD;
  • Câmera traseira quádrupla:
    48 MP wide f/1.8 com inteligência artificial, tecnologia Quad-Pixel e autofoco PDAF;
    8 MP ultrawide f/2.2;
    2 MP macro f/2.4;
    2 MP sensor de profundidade f/2.4;
  • Câmera frontal de 13 MP f/2.3;
  • Gravação de vídeo Full HD a 30 fps;
  • Leitor de impressão digital traseiro;
  • Bluetooth 5;
  • A-GPS, Glonass, Galileo e BDS;
  • USB tipo C;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, giroscópio e bússola;
  • Bateria de 5.020 mAh com carregamento turbo de 18w e carregamento reverso de 9w.

Unboxing

Design e tela

A palavra de ordem do Redmi Note 9 é economia, e por isso o modelo deixou para trás a traseira de vidro das gerações anteriores para dar lugar ao plástico, algo que aliás todas as fabricantes estão fazendo no segmento.

Apesar disso, trata-se de um smartphone bonito e bem construído, que também é bastante fino e leve se levarmos em conta o tamanhão de sua bateria.

A traseira com bordas curvas oferece pegada confortável, mas por conta do tamanho da tela (6,5 polegadas), esse não é exatamente o celular ideal para quem gosta de fazer tudo com apenas uma mão.

Falando em tela, este é um dos pontos fortes do modelo.

O display IPS Full HD+ do Redmi Note 9 é um dos dos melhores que eu vi em 2020 nos celulares até 1500 reais, resultado de uma qualidade de exibição impecável em qualquer situação.

O brilho do painel é generoso até mesmo debaixo do sol, os ângulos de visão são ótimos, a definição é altíssima, e as cores são vibrantes, mas sem exageros.

O branco é bem calibrado, e você pode deixá-lo mais amarelado ou mais azulado de acordo com o seu gosto, e o preto é bem profundo, resultando num contraste bem legal.

Resumindo, é uma tela nota 10.

Xiaomi Redmi Note 9 - tela

Câmeras

O que a Xiaomi economizou no acabamento, ela investiu nas câmeras do Redmi Note 9.

O modelo conta com um excelente sensor principal traseiro de 48 MP da Samsung, e também um ótimo sensor frontal de 13 MP da OmniVision. Além disso, ele não faz feio nas lentes auxiliares traseiras ultrawide, macro e depth (profundidade), e dá um show no pós-processamento das imagens. Parece até que tem a inteligência artificial do Google por trás. Será?

Bom, chega de papo e bora pra fotos!

Começando com a câmera principal, observe como o HDR é competente em equilibrar as áreas claras e escuras, tanto no sol do meio-dia…

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

…quanto num fim de tarde nublado:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

A distância focal da lente principal é bem legal para desfocar o fundo das fotos mesmo sem usar o Modo Retrato:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

E num dia bonito as fotos ficam realmente espetaculares:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

Lógico, nem tudo são flores e podemos notar uma queda de qualidade na captura da lente ultrawide, principalmente na representação de cores e definição dos cantos…

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

…mas quando o pós-processamento automático entra em ação, dá para conseguir imagens bem impressionantes com essa lente. Veja:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

Outra coisa legal dos conjuntos quádruplos de câmera da Xiaomi, é que você pode usar a câmera principal como uma teleobjetiva de mentirinha, que faz zoom digital interpolado, sem muita perda de qualidade. Olha como ficaram esses patinhos que eu capturei à distância:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

A câmera macro do modelo possui apenas 2 MP, ou seja, é menor que a do Redmi 9, mas mesmo assim consegue imagens razoáveis, desde que haja MUITA luz:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

E como eu disse lá no início, a Xiaomi caprichou na câmera frontal do Redmi Note 9, que também usa o software a seu favor para gerar selfies muito bonitas, cheias de detalhes e com bom alcance dinâmico.

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

No Modo Retrato a selfie mantém a excelente definição do primeiro plano, e faz um recorte preciso para o desfoque de fundo, gerando imagens de primeira, onde até os fios de cabelo e as lentes dos óculos são representados corretamente (coisa rara em aparelhos dessa faixa):

Teste de câmera - Xiaomi Redmi Note 9

Resumindo, é um baita conjunto fotográfico num aparelho acessível.

Para ver as fotos deste review em tamanho original, acesse o Google Drive do Mobizoo.

Teste de desempenho [vídeo]

O processador Helio G85 da MediaTek presente no Redmi Note 9 é otimizado para games (por isso o G), mas também entrega um ótimo desempenho para as tarefas do dia a dia.

Tudo é carregado muito rapidamente no sistema, e todos os apps que eu testei rodam com muita fluidez.

Durante as minhas semanas de teste eu não enfrentei nenhum engasgo, lentidão ou travamento, e entre os games que eu joguei, o único que ficou abaixo do satisfatório foi Genshin Impact, que tem como requisito mínimo o Snapdragon 845. Confira o teste no vídeo:

É importante deixar claro aqui que eu mantive o aparelho na MIUI 11 para este review, já que ainda há uma série de bugs na MIUI 12 relatados por usuários do Redmi Note 9, que certamente iriam prejudicar a minha avaliação do modelo.

Na MIUI 11, o único bug que enfrentei foi o da programação de horário para ativação automática do modo leitura, que simplesmente não funciona.

Para finalizar, e à título de comparação, o Redmi Note 9 com 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento que eu testei faz exatamente a mesma pontuação no Antutu Benchmark que o Motorola One Fusion com a mesma combinação de memórias.

Ambos ficam nos 205.000 pontos, mas o mérito é do Note 9, que possui tela Full HD+, bem mais “pesada” de renderizar que a HD+ do Motorola.

Pontuação no Antutu Benchmark

Xiaomi Redmi Note 9 - antutu

Bateria

Apesar da grande capacidade, a bateria do Redmi Note 9 não me impressionou no dia a dia.

Na verdade, o desempenho em termos de autonomia foi inferior ao que vi no Redmi 9, ficando mais para 1 dia e meio de uso moderado, do que os 2 dias inteiros que o modelo mais barato consegue.

Com uso mais intenso da câmera, games e streaming de vídeo eu consegui 1 dia inteiro longe da tomada, me levando a concluir que o Redmi Note 9 é mais gastão que o irmão mais barato, muito provavelmente por causa de sua tela de brilho mais intenso, e processador ligeiramente superior.

Para compensar, o carregador que acompanha o Redmi Note 9 tem o dobro da potência do carregador do Redmi 9 (20w contra 10w) e por isso recarrega o modelo bem mais rápido, levando-o de 10 a 100% em 1h30.

Áudio

O alto falante do Redmi Note 9 não é uma maravilha, mas também não é ruim.

O volume é alto e não distorce no máximo, mas precisava ter mais graves e mais profundidade para perder o som de aspecto abafado que reproduz.

Como sempre não há fones de ouvido na caixa, mas com um bom acessório você consegue uma experiência bem legal no Note 9.

Uma coisa interessante do Redmi Note 9 é que a Rádio FM do aparelho funciona até mesmo sem fones de ouvido conectados. Sim, o “bichinho” tem uma antena interna, ótima pedida em caso de apocalipse.

Veredito

A faixa dos 1500 reais é uma das mais disputadas no mercado de smartphones, e por isso um aparelho precisa ter diferenciais para chamar a atenção do consumidor.

O Redmi Note 9 se destaca pela tela espetacular e pelas câmeras competentes, sendo assim uma ótima recomendação para quem busca um dispositivo para trabalho em redes sociais e consumo de mídia, mas ele não é recomendado para quem é exigente com bateria e desempenho, já que na mesma faixa de preço há diversas opções melhores.

O Galaxy M31, por exemplo, atropela o Note 9 no quesito bateria, e o Motorola One Fusion Plus é uma escolha mais interessante para os gamers de plantão.

Além disso, o Redmi 9 possui desempenho quase idêntico e custa bem mais barato, tendo assim uma relação custo-benefício melhor para quem só se preocupa com velocidade.

Com só um pouquinho mais de grana você leva o Redmi Note 9S com traseira de vidro e uma experiência mais premium no geral, então fica difícil recomendar o Note 9 pra todo mundo.

Por isso, meu veredito é:

bacana

Ainda não conhece a escala memética de avaliação do Mobizoo? Então veja como fazemos nossas análises de celular.

As opiniões deste review são 100% sinceras, baseadas na experiência real de uso do equipamento. O celular utilizado nesta análise foi comprado pelo Mobizoo, e não emprestado ou cedido pela fabricante ou loja parceira.

Mais sobre: Xiaomi