Sharenting: a perigosa exposição dos filhos nas redes sociais

O termo “sharenting” foi criado para para definir a prática do compartilhamento irrestrito de fotos e vídeos dos seus filhos nas redes sociais.

O hábito, que a princípio parece inofensivo, pode gerar riscos que vão desde a segurança das crianças, até o desenvolvimento psicológico dos pequenos.

Neste artigo você entenderá melhor os impactos deste fenômeno na vida dos seus filhos, e a partir disso poderá refletir a sua forma de se relacionar com as redes sociais.

O que é “sharenting”?

Nas redes sociais, o compartilhamento de fotos parece ser a atividade favorita, tanto para famosos quanto para anônimos. As imagens podem ser de selfies, fotos de lugares, pratos, coisas, bichos de estimação, atividades variadas e, claro, da família, incluindo as crianças.

No entanto, o que poucas pessoas sabem, é que a prática impensada de alguns pais, de postar fotos de seus filhos pequenos, tem um termo próprio e vem sendo objeto de debate acerca de suas consequências.

O nome usado para esta prática, “sharenting”, é formado pela junção das palavras em inglês “share” (compartilhar) e “parenting” (criação, cuidado parental). Portanto, em resumo, sharenting é a prática repetida de compartilhamento de imagens e informações, pelos pais ou responsáveis, sobre a vida de seu filho e seu cotidiano.

Sharenting: a perigosa exposição dos filhos redes sociais - Mobizoo

Por que o sharenting pode ser perigoso?

Teoricamente, pessoas com idade menor do que 13 anos não podem se cadastrar nas redes sociais. No entanto, muitos dos adolescentes que seguem esta regra podem se assustar ao ver a quantia de fotos suas que seus próprios pais já compartilharam.

Muitos filhos não aprovam o sharenting e deixam bem claro aos seus pais essa desaprovação. Assim ocorreu com a atriz Gwyneth Paltrow ao postar uma selfie com sua filha, na época com 14 anos, Apple Martin, em uma estação de esqui.

https://www.instagram.com/p/BvZwEmIhTF_/?utm_source=ig_embed

“Mamãe, discutimos isso. Você não pode postar nada sem o meu consentimento”, escreveu Apple em sua conta privada no Instagram.

“Nem dá para ver seu rosto!”, respondeu Paltrow.

A foto gerou um debate entre os fãs da atriz, muitos defenderam seu direito de compartilhar fotos da filha. Mas, outros tantos apoiaram o direito dos filhos à privacidade.

Não iremos entrar nas questões legais quanto aos direitos dos pais compartilharem fotos de seus filhos e suas obrigações em protegê-los. No entanto, veja a seguir alguns dos principais argumentos que demonstram por que o sharenting pode ser perigoso.

Privacidade

O sharenting traz à tona alguns debates acerca da privacidade e da segurança de nossas crianças. Sendo que a grande maioria dos pais compartilham diversos aspectos da vida de seus filhos sem consultá-los. Mesmo que eles sejam muito novos para entender a questão completamente, espera-se que seus pais os protejam.

Bullying

Outro ponto levantado pelo sharenting aborda as questões relativas ao constrangimento, intimidação e mágoa. Pais que postam fotos de seus filhos com legendas engraçadas, ou algo relacionado aos seus cabelos ou cara por exemplo, podem estar oferecendo margens para brincadeiras ou até mesmo ao bullying por parte de outras crianças.

Reputação online

Qualquer coisa que os pais publicam sobre seus filhos pode contribuir para sua reputação online. Que podem ser tanto as fotos quantos os comentários e links compartilhados. Alguns registros são difíceis de excluir. Portanto, o que os pais publicam sobre seus filhos acaba também moldando sua reputação online.

À medida que os filhos crescem e passam a ingressar no mercado de trabalho, tudo o que foi compartilhado sobre eles pode afetar suas perspectivas. Uma discussão com os filhos, postada no Facebook, por exemplo, poderia contribuir negativamente para sua reputação online.

Segurança

Revelar muito sobre a vida de seu filho pode trazer sérias consequências caso não se tome cuidado com as configurações de privacidade de suas redes sociais.

Pessoas estranhas podem facilmente stalkear um perfil do Facebook em busca de informações como o nome de uma criança, a escola onde estuda, seu aniversário e amigos. Informações que os pais, provavelmente, não compartilham com estranhos na rua.

Além de todos esses perigos, outro risco potencial do sharenting é o “sequestro digital”, quando pessoas estranhas utilizam fotos de crianças, disponíveis online, e as utilizam para fins sexuais.

Questões psicológicas

Em mundo onde celebridades, como Kim Kardashian, são acusadas de editar fotos de seus filhos pequenos para que pareçam mais magros e belos. Ou ainda, onde influenciadores digitais pedem likes para as fotos de seus filhos, pensar sobre o sharenting torna-se necessário aos pais e educadores. Principalmente, quando pensamos nas consequências destas imagens para as crianças, quando seu objetivo é apenas provocar uma reação midiática.

Quando uma mãe edita a foto de sua filha para fazer com que seu público acredite que ela é mais magra ou mais bonita, esta criança provavelmente aprenderá que seu corpo, ou sua vida, tem falhas. Ou, quando um pai posta fotos de seus filhos para ganhar curtidas, a criança entenderá que deve-se buscar de aceitação de estranhos.

Já estamos cansados de ouvir o quanto é importante manter as crianças offline. No entanto, não devemos esquecer de observar nossos próprios hábitos e impulsos de compartilhamento. Isso porque, embora não saibamos como será a privacidade daqui a 10 anos, temos a certeza de que nossos filhos estão aprendendo com nossas escolhas atuais. E isso envolve, também, mostrar a eles como se proteger no mundo online.

O que podemos fazer para proteger as crianças?

A princípio, para proteger a imagem de nossas crianças, você pode verificar as configurações de privacidade de suas postagens. Certifique-se de elas não são públicas. Caso você utilize o Instagram, considere tornar sua conta privada. E ainda, ao compartilhar fotos no Facebook, compartilhe-as com pessoas que você saiba de fato quem são.

Além disso, pense antes de compartilhar: “Isso poderá envergonhar meu filho(a) quando ele(a) for mais velho(a)? Outras pessoas poderão rir dele(a)? Este comentário poderia ser mal interpretado?”. Na dúvida, não compartilhe.

E por fim, o mais importante, converse com seus filhos. Pergunte se eles ficarão felizes em compartilhar ou postar uma foto. Quando eles forem mais velhos irão compreender melhor as relações nas mídias sociais. No entanto, em última análise, a melhor maneira de protegê-los é não compartilhar suas fotos.

Você já pensou sobre a exposição dos seus filhos nas redes sociais? Deixe sua opinião sobre o tema!