Como acabar com o vício em celular (em 1 semana)

Você já tentou passar 1 semana sem seu celular? Pois é, eu sei, não é nada fácil. Na verdade, muitas pessoas nem percebem, mas já desenvolveram um verdadeiro vício em smartphone, e tentar afastá-las do dispositivo pode parecer impossível. É aí que entra o detox digital, ou a ARTE DE LIGAR O FODA-SE para a telinha.

Como acabar com o vício em celular (em 1 semana) - Mobizoo

Sempre que eu passo muito tempo testando vários aparelhos para a produção de reviews, um atrás do outro, como aconteceu nos 2 últimos meses, eu faço uma pausa de 1 semana sem nada, com o objetivo de limpar minha cabeça.

Sim, eu passei uma semana inteira completamente sem smartphone, e agora vou te contar como foi esse detox digital.

Entendendo como funciona o vício em celular

Talvez você esteja pensando que a culpa pelo seu vício em celular é 100% sua, mas calma, pois não é. Na verdade, os smartphones são desenvolvidos para puxar sua atenção o tempo todo, com elementos visuais chamativos, pequenas recompensas para seu cérebro e muitos sinais quase imperceptíveis que te fazem ficar ligad@ na telinha o máximo de tempo possível. Aliás, esse é o objetivo das fabricantes e das desenvolvedoras de aplicativos.

Para entender melhor a situação, confira o vídeo abaixo, produzido pela Vox Media:

Legendas em português disponíveis através da tradução automática do YouTube.

Como foi passar uma semana de detox digital sem celular

O primeiro dia é o mais difícil, pois qualquer um que está inserido na vida digital fica completamente sem chão ao se ver sem um celular. Você sente seu bolso vibrando algumas vezes mesmo não tendo nada lá, ouve notificações do além, e até pega qualquer coisa que tenha uma tela para satisfazer seu vício minimamente. No meu caso, a vítima foi um PSP que andava esquecido na gaveta.

A partir do segundo dia você já se sente um pouco mais livre, e até ensaia alguns movimentos mentais interessantes nos momentos que normalmente estaria passando o dedo na telinha. Você consegue parar mais tempo para organizar suas ideias, pensa em soluções para resolver aquele problema que empurra com a barriga há tempos, e, olha só! Até lê um livro!

Do terceiro dia em diante você começa a perceber que todo mundo a sua volta está de olho na telinha quase que o tempo todo, e se assusta com a situação de desconexão generalizada com o “mundo real” em que vivemos. As pessoas não sentem mais o sabor da comida num restaurante, assistem shows através da telinha enquanto filmam tudo (para nunca mais ver), e levam suas crianças no parque não para se divertirem com elas, mas sim para tirarem “aquela” foto que vai bombar de likes no Insta.

No quarto dia você já está bastante acostumado a viver sem smartphone, e chega a conclusão de que é sim possível viver sem esse verdadeiro vampiro do seu tempo. Inclusive, já começa a estruturar um plano de fuga do Facebook, uma rotina mais saudável de sono, e pensa em como aproveitar melhor o tempo que vai ganhar ao abdicar de certos apps.

De acordo com a minha experiência – e essa não é a primeira vez que faço isso – você vai chegar no final desta “semana da libertação” com a saúde mental muito melhor, e uma lista enorme de coisas que precisa remover imediatamente da sua rotina com o celular.

Depois de algumas rodadas realizadas nos últimos anos, eu já não como com o celular do lado, quando me encontro com meus amigos uso o celular apenas para tirar fotos, e resisto à tentação de ficar rolando timelines sempre que tenho um tempo livre. No lugar disso, eu vou passear com minha filha, vou cozinhar um prato que nunca tentei, ou mesmo vou simplesmente pensar na vida olhando pro teto.

Por todos esses motivos, eu recomendo fortemente que você tire 1 semaninha de férias do seu smartphone pelo menos 1 vez a cada 6 meses, especialmente se você faz parte da geração que já cresceu num mundo com Internet, e não sabe como era a vida antes disso tudo.

Vida sem celular: as principais dificuldades

Obviamente, passar uma semana sem smartphone tem os seus perrengues, já que muitos dos serviços importantes que usamos no dia a dia estão nele. Vamos aos principais:

  • Não dá para pedir um Uber ou algo do gênero sem o celular (você vai ter que se virar com um taxi ou transporte público);
  • Para ouvir suas músicas e podcasts por aí, você precisa tirar a poeira daquele seu iPod/MP3 que está lá no fundo da gaveta abandonado (vai ser estranho no começo, mas depois você vai se sentir super hipster);
  • Outros serviços online, como pedir comida no iFood, por exemplo, você terá que passar a fazer no computador;
  • Para tirar fotos dos eventos sociais (que são o que realmente importa, e não ficar tirando foto da sua comida), você vai precisar pedir que seus amigos/parentes te enviem suas foto por email ou rede social;
  • Se você depende do celular para o seu trabalho, sugiro que faça esse detox digital durante suas férias. Afinal, ninguém aqui quer que você perca seu emprego, tá?

Mas calma, você não vai precisar voltar para o tempo em que precisávamos carregar um aparelho para cada função, é só uma semaninha para se desintoxicar e melhorar seus hábitos. Passa super rápido!

E então, se animou? Bora tentar? Depois me conta como foi o seu detox digital aí embaixo nos comentários!

Mais sobre: comportamento saúde