Moto C Plus não parece, mas é boa opção de celular barato no Brasil

A Motorola realizou no Rio de Janeiro um evento para apresentar seu portfólio de produtos, e nele eu pude experimentar o smartphone da marca que mais deixou mais intrigado nos últimos tempos: o Moto C Plus.

Talvez você não saiba, mas o Mobizoo nasceu com a missão de cobrir os lançamentos de smartphones mais baratinhos – sempre deixados de lado pelos grandes veículos, e por esse motivo eu me sinto na obrigação de fazer uma análise mais aprofundada sobre o mais novo aparelho de entrada da linha Moto.

Moto C Plus: design

O Moto C Plus carrega a mesma identidade visual dos celulares mais recentes da marca, trazendo corpo arredondado e câmera traseira circular, mas obviamente, por se tratar de um modelo acessível, deixou de lado o metal e usou o bom e velho plástico texturizado em seu acabamento.

Mesmo contando com bateria de 4000 mAh e tela de 5 polegadas, o Moto C Plus consegue ser um dispositivo leve, compacto e de boa pegada, com praticamente as mesmas dimensões do mais caro Moto E4, porém ligeiramente mais “gordinho”.

Ao contrário dos Moto E4 e Moto E4 Plus, o Moto C Plus não conta com leitor de impressão digital multifunção abaixo de sua tela, e por isso “aproveitou” o espaço para incorporar os botões de navegação do Android (que aliás não são iluminados), deixando mais espaço disponível para os aplicativos.

Ainda em sua parte frontal o baratinho da Motorola traz um muito bem-vindo flash dedicado para selfies ao lado da câmera e do alto falante para ligações, mas ficou devendo um sensor de luminosidade para ajuste automático do brilho da tela.

Moto C Plus: tela

Falando em tela, temos uma IPS HD com brilho bastante intenso (mais intenso que o do Moto E4 Plus!) e cores muito vibrantes, algo que faz com que este painel se destaque frente à concorrentes como LG X Power e Quantum Muv.

A resolução é bem adequada para o tamanho do display, não deixando nenhum pixel visível para o usuário, e os ângulos de visão são bons, dentro das limitações da tecnologia utilizada.

É verdade que ele é um aparelho “simplão” em termos de hardware, com seu chipset quad core Mediatek e apenas 1 GB de RAM + 8 GB de armazenamento, mas traz Android 7 e TV Digital, coisas que em sua faixa de preço estão difíceis de achar.

Eu testei rapidamente suas duas câmeras e achei os resultados bem satisfatórios para o público que o celular se propõe – não se assuste com os 2 MP da frontal, você não vai precisar mais do que isso pro Instagram –, e acredito que, frente às câmeras terríveis dos celulares de 500 reais, o Moto C Plus faz bonito.

Moto C Plus: vale a pena?

Esqueça números e especificações, o Moto C Plus é um bom celular de entrada que leva vantagem sobre concorrentes como o LG X Power por contar com bateria de longa duração, Android mais atualizado (e puro) e TV Digital, e nos próximos meses deve ficar ainda mais interessante, com seu preço caindo próximo aos R$ 500.

Ele não é um aparelho sofisticado e nem atinge todo o tipo de público, mas faz bem o que promete, e pode ser uma boa em tempos de desemprego, furtos e recessão.

Mais sobre: android motorola

Apoie o conteúdo que você ama!

Desative o seu bloqueador de anúncios e nos ajude a manter o site :)