Asus Zenfone 6: o rei das selfies [Review]

O Asus Zenfone 6 representa o início de uma nova etapa para a fabricante taiwanesa, que agora aposta todas as suas fichas nos smartphones topos de linha.

Diferente da linha Zenfone 5, que era dividida em 3 aparelhos bem diferentes – o Zenfone 5 Selfie mais básico, o Zenfone 5 intermediário, e o Zenfone 5Z topo de linha –, a linha Zenfone 6 consiste em um único modelo premium, com versões que mudam apenas a quantidade de memória.

O grande destaque do smartphone é sem dúvida o seu famoso conceito da câmera flip, que vira a o módulo traseiro para a frente, permitindo selfies com os sensores principais, mas claro, é preciso avaliar todo o conjunto para sabermos se o produto realmente vale a pena.

Eu usei a versão de 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento como meu celular principal durante algumas semanas, e nessa análise eu conto como foi a minha experiência.

Vá direto para:

Asus Zenfone 6 é bom? Vale a pena? [Review] - Mobizoo

Prós e contras

Prós:

  • Bateria de longa duração – dura 2 dias inteiros mesmo com uso intenso;
  • Design leve e confortável, mesmo com uma bateria enorme;
  • Desempenho acima dos concorrentes de mesmo preço;
  • Tela com tamanho, definição, cores e contraste excepcionais;
  • Selfies espetaculares;
  • É um dos raros tops de linha com rádio FM;
  • Também é um dos raríssimos tops de linha que aceita 2 chips de operadora + 1 micro SD ao mesmo tempo.

Contras:

  • Som estéreo perdeu um pouco de qualidade em relação ao Zenfone 5/5Z;
  • Fotos com a câmera ultrawide têm cantos bastante distorcidos;
  • O sensor de proximidade é hiper sensível, e por isso você mal pode se mexer enquanto ouve um áudio do WhatsApp;
  • Visibilidade da tela ao ar livre não é das melhores.

Unboxing [vídeo]

Ficha técnica

  • Android 10 com ZenUI 6;
  • Tela IPS Full HD+ de 6,4 polegadas e 92% de aproveitamento;
  • Proteção Gorilla Glass 6;
  • Chipset Qualcomm Snapdragon 855 Octa-core (2,8 GHz);
  • GPU Adreno 640;
  • 8 GB de RAM;
  • 64, 128 ou 256 GB de armazenamento interno + entrada para micro SD de até 1 TB;
  • Câmera traseira dupla – Sensor principal SONY IMX586 de 48 MP, com lente de abertura f/1.79 e autofoco dois por um OCL PDAF. Sensor secundário de 13 MP grande-angular de 125° com correção de distorção em tempo real;
  • Gravação de vídeo 2160p com 30fps;
  • Leitor de impressão digital traseiro;
  • LED de notificações (acima da tela);
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, bússola, giroscópio;
  • Bluetooth 5;
  • Dual GPS e NFC;
  • Áudio estéreo;
  • USB Tipo C;
  • Bateria de 5000 mAh com carregamento rápido 4.0 (18 w).

Design e tela

A primeira coisa que me chamou atenção ao pegar no Zenfone 6 foi o seu peso. Mesmo carregando uma bateria de 5000 mAh e um motor de acionamento da câmera flip, o dispositivo consegue ser leve, e de quebra ainda possui uma espessura bem aceitável.

A traseira de vidro com bordas curvas oferece mais conforto na pegada do que na geração anterior (mais “chapada”), mas usar o dispositivo com apenas uma mão está mais difícil que no Zenfone 5, que era menos alto e mais largo.

Tela do Zenfone 6

A tela IPS do Zenfone 6 é um deleite não só por ser grande e estar livre de qualquer recorte, mas também por apresentar calibração de cores impecável (exibindo 100% da paleta DCI-P3), pretos bastante profundos, e amplos ângulos de visão.

Durante o meu uso o painel só ficou devendo mesmo na visibilidade sob a luz do sol. Não chega a ser péssimo, mas eu esperava mais.

A construção e o acabamento do modelo são de primeira, mas é bom avisar que não há proteção contra água, já que temos uma peça móvel que seria BEM complicada para vedar.

Câmeras

Para ter a famosa “tela infinita” é preciso dar um jeito na câmera frontal. O Mi Mix 3 da Xiaomi adotou a tecnologia Slider, a Vivo fez a primeira câmera Pop up (que sai de dentro do celular) e foi seguida por várias fabricantes, e a Samsung fez uma bizarra combinação de Slider com giro no seu Galaxy A80.

Para se destacar no meio dessas opções, a Asus trouxe seu conceito único de câmera flip que gira 180° a partir de um eixo motorizado. Desta forma, a câmera principal do celular pode ser utilizada para selfies.

É algo inovador que foi executado com muita competência, e abre um leque de possibilidades principalmente para quem usa o celular para criação de conteúdo em vídeo.

Graças ao mecanismo, a câmera do Zenfone 6 oferece modos exclusivos, como: Free Angle – que permite que você posicione as lentes em qualquer ângulo entre a traseira e a frontal, abrindo várias possibilidades de fotos e vídeos em ângulos bem incomuns; Panorama Automático – onde o movimento da câmera se encarrega de toda captura espacial; e Motion Track, que faz a câmera flip rastrear o que foi selecionado, mantendo o foco.

Agora que você já conhece o sistema, é hora de conferir a qualidade das capturas. Eu levei o Zenfone 6 para um passeio na Ilha Fiscal (Rio de Janeiro), e a seguir eu mostro como foram os resultados.

Teste de câmera - Asus Zenfone 6 Teste de câmera - Asus Zenfone 6

Como já era de se esperar, o sensor IMX 586 da Sony faz um trabalho excelente, e o HDR+ torna tudo ainda mais bonito das fotos.

Mas claro, como temos duas lentes no aparelho, é importante observar a diferença entre elas.

Para isso, vamos aos comparativos com a mesma foto feita pela lente “normal”, e em seguida pela lente ultrawide:

Teste de câmera - Asus Zenfone 6 Teste de câmera - Asus Zenfone 6

Na minha opinião a lente ultrawide gera uma iluminação melhor nas fotos, mas pode ser que alguns usuários achem que, na verdade, a foto fica mais artificial.

Conta nos comentários o que você acha.

Teste de câmera - Asus Zenfone 6   Teste de câmera - Asus Zenfone 6

Na tela do celular os resultados são sempre lindos em ambas as lentes, mas ao ver as fotos ultrawide na tela do computador, eu percebi uma clara distorção nos cantos das imagens.

Nessa foto do helicóptero isso fica bem claro, basta olhar para as pessoas do lado direito, bastante achatadas e borradas.

Esse tipo de problema já foi resolvido através de software por algumas fabricantes, então era bom a Asus dar um jeito nisso em atualizações futuras.

Teste de câmera - Asus Zenfone 6

Em fotos com pouca luz o dispositivo apresenta boa sensibilidade, gerando fotos bastante detalhadas e com pouco ruído.

Teste de câmera - Asus Zenfone 6 Teste de câmera - Asus Zenfone 6

Mas como eu disse lá no início, a grande vantagem do Zenfone 6 sobre a concorrência é sem dúvida a possibilitade de usar todo o poder da câmera principal para as selfies.

As fotos ficam absolutamente incríveis tanto no modo normal:

Teste de câmera - Asus Zenfone 6

Quanto no modo retrato:

Teste de câmera - Asus Zenfone 6

Então, se você busca o melhor celular para selfies, não há nada melhor no momento.

Para ver as fotos deste review em tamanho original, acesse o Google Drive do Mobizoo.

Teste de desempenho [Vídeo]

Em termos de velocidade, não há muito o que falar do Zenfone 6. O dispositivo é ultra veloz para abrir e alternar aplicativos, executa animações e rolagens de tela com muita fluidez, e no teste do Antutu Benchmark se sai melhor que os modelos de mesmo valor.

Pontuação do Zenfone 6 no Antutu 8

Nos games com gráficos sofisticados o desempenho é igualmente excelente, e a bateria de longa duração ainda torna o dispositivo mais interessante que os concorrentes para quem deseja horas de diversão.

Claro, não é o ROG Phone 2, mas ainda sim é muito bom.

Veredito

O Zenfone 6 é uma excelente alternativa aos tops de linha mais populares de 2019, como o Galaxy S10 e o iPhone 11, já que conta com uma exclusiva câmera flip, tela livre de buraco ou recorte, bateria monstruosa, e desempenho inquestionável.

O software deu um enorme salto de qualidade em relação ao ano anterior, e agora une o melhor dos dois mundos, oferecendo experiência mais próxima à do Android 10 puro, porém sem abrir mão das funcionalidades úteis da Asus.

As câmeras podem não ser as melhores do mercado, mas são suficientes para impressionar a maioria dos usuários, especialmente nas selfies.

Eu só não vou dar nota 10 para o modelo por conta de pequenos deslizes nos detalhes: as distorções da lente ultrawide, o sensor de proximidade hiper sensível, e a tela não muito legível sob o sol.

De qualquer maneira trata-se de um smartphone que não vai fazer ninguém se arrepender, e por isso, meu veredito é:

Ainda não conhece a escala memética de avaliação do Mobizoo? Então veja como fazemos nossas análises de celular.

Deixo o meu agradecimento à assessoria da Asus, que gentilmente emprestou o celular utilizado nesta análise.

Mais sobre: Asus