As reuniões pelo Zoom vão acabar em 2023?

Neste período de pós-pandemia, muitas pessoas têm se perguntado se as reuniões pelo Zoom vão acabar em 2023? Ao que tudo indica, não, pois o Zoom se tornou uma ferramenta muito importante para a comunicação e colaboração entre equipes.

E embora o aplicativo venha sendo usado majoritariamente em reuniões de negócios, também exerce um papel importante na formação de equipes.

Como o Zoom oferece uma versão gratuita e outra paga, o aplicativo é bastante democrático. Além de oferecer máxima facilidade de configuração e usabilidade, garantindo que o Zoom seja o app favorito dos adeptos aos encontros virtuais.

O boom do Zoom

Atualmente, mais de 300 milhões de pessoas participam de reuniões pelo Zoom diariamente, o que representa um crescimento de 2900% em comparação ao período pré-pandemia.

Com tantos usuários, não é nenhuma surpresa que o número de minutos anuais em reuniões do Zoom ultrapasse 3.3 trilhões.

Segundo dados do Backlinko, o aplicativo Zoom possui mais de 500 mil clientes comerciais e é usado em mais de 200 localidades pelo mundo, especialmente em países como Estados Unidos, China, Reino Unido, Holanda e Austrália.

Inclusive, como o Zoom foi um dos aplicativos mais usados durante a pandemia, também foi um dos que experimentou maior crescimento de mercado e de valuation.

O crescimento foi de 319% em 2020 e 53% em 2021 e o valuation excedeu US$100 bilhões.Em relação a 2023, a expectativa é que a empresa fature cerca de US$4.5 bilhões em receita.

O futuro é promissor, especialmente pela integração entre as plataformas Zoom e Google Meetings, sem qualquer custo adicional para os usuários.

As reuniões pelo Zoom vão acabar em 2023? - Mobizoo

O grande problema das reuniões pelo Zoom

Embora conduzir reuniões pelo Zoom tenha deixado de ser uma alternativa, para se tornar uma escolha para muitas empresas, 67% dos profissionais estão distraídos durante esses encontros, segundo uma pesquisa da Zippia.

A principal causa para distração é que 54% dos profissionais realizam outras atividades durante os encontros de trabalho. Mais da metade checa e-mails, 15% desempenham tarefas domésticas durante as reuniões e outros procuram atividades para passar tempo.

Além disso, muitos profissionais relatam sentir fadiga e irritação durante os encontros de trabalho. As causas variam: 57% dos entrevistados acreditam que o problema poderia ter sido resolvido por e-mail, 55% relatam incômodo com ruídos, 49% acham que as reuniões acontecem em horários inadequados, 48% enfrentam dificuldades técnicas e 39% acham que as discussões fogem do tema.

A questão da privacidade

Outro ponto negativo das reuniões de trabalho pelo Zoom diz respeito à privacidade, especialmente a gravação e compartilhamento das chamadas sem o consentimento dos participantes.

Para garantir a proteção de dados, 43,5% dos profissionais gerenciam o compartilhamento de tela, 15,6% bloqueiam a reunião e 7,7% usam o recurso de autenticação em dois fatores, segundo dados da Real Research.

Mas mesmo com a desatenção de alguns usuários e alguns problemas de segurança, o Zoom se tornou uma ferramenta importante para a conexão e produtividade das equipes, especialmente das que trabalham em regime remoto ou híbrido. Então não se preocupe porque as reuniões no Zoom não vão acabar em 2023.

Foto de capa: LinkedIn Sales Solutions na Unsplash

Anderson Mansera

Especialista em Tecnologia e Design com mais de 20 anos de experiência no mercado de produtos eletrônicos e soluções digitais, com participação em eventos internacionais e projetos para grandes empresas. Retrogamer e tecladista nas horas vagas.

Mais sobre: Produtividade