O Macbook Pro 2021 pode se tornar um laptop gamer?

Os novos modelos MacBook Pro 2021 (de 14 e 16 polegadas) são laptops extremamente potentes, especialmente graças aos novos processadores M1 Max e M1 Pro que oferecem melhorias ao já aclamado processador M1.

De acordo com a Apple, os gráficos integrados do M1 Max conseguem rivalizar e até superar placas de vídeo produzidas por concorrentes como Nvidia e AMD. Estas configurações fazem com que o Macbook Pro seja visto como um laptop gamer bastante potente, mas vale a pena fazer uma análise mais profunda para verificar se isto é verdade.

Poder de processamento

Com 32 núcleos de GPU, o M1 Max é realmente impressionante. Em alguns testes, como o que foi realizado por Vadim Yuryev, o M1 Max conseguiu entregar 10.40 teraflops (TFLOP) de desempenho de processamento, em contraste com o valor de 10.28 alcançado pelo incrível PS5.

Para avançar nas comparações, a GeForce RTX 2080 teve desempenho de 10 teraflops e a Radeon RX Vega 56 atingiu 10.5 teraflops. Então, aparentemente, o MacBook Pro 2021 é insuperável e no momento não há nada que se compare a esta maravilha da computação.

Mas as coisas não são bem assim.

O Macbook Pro 2021 pode se tornar um laptop gamer?

Muita calma nesta hora

Apesar de ser incrivelmente potente, o M1 Max não faz com que o MacBook Pro possa ser efetivamente considerado um laptop gamer, muito menos o melhor laptop gamer.

Quer dizer, ele definitivamente consegue rodar bons jogos com ótimo desempenho, mas isto não o torna o melhor da categoria para a execução de games, mesmo com o alto poder de processamento.

Há um grande potencial no MacBook Pro com o M1 Max. Mas, infelizmente, há dois problemas principais que se tornam obstáculos significativos para que ele seja realmente um ótimo dispositivo para games em comparação com concorrentes similares – e eles não estão relacionados exclusivamente a questões de hardware, diretamente.

Problemas de compatibilidade

O primeiro ponto a ser levado em consideração é o fato de que não há muitos games voltados para Mac. Títulos como os da franquia GTA, Assassin’s Creed e Witcher não são compatíveis com sistemas iOS.

Eles estão presentes em plataformas de distribuição de games como Steam e GoG mas não são disponibilizados para sistemas macOS.

Da lista dos dez maiores títulos disponíveis na Steam, só 4 são compatíveis com Mac, e nem são jogos realmente novos. Então, o alto poder de processamento fica limitado pela incompatibilidade de títulos que poderiam ser aproveitados por este processamento, e títulos muito inferiores (que não precisam desta capacidade) é que se encaixam no uso do Macbook Pro.

No fim das contas, estes jogos podem ser jogados em máquinas muito inferiores e mais baratas que o Macbook Pro com processador M1 Max e que conseguem oferecer ótimo desempenho para estes títulos defasados.

Mesmo com adaptações para rodar no Mac, o desempenho geral não é o mesmo que seria com um suporte integrado para o sistema.

Modelos concorrentes

A Apple não é exatamente a melhor empresa em termos de preços. Isto já é fator reconhecido: basta comparar os modelos de iPhone com concorrentes equivalentes. E não é nada diferente com o Mackbook Pro 2021.

É só fazer as contas: com o valor de US$ 3299 dólares no mercado externo, o preço (que já é considerado para os padrões de mercado dos EUA) fica bastante salgado no cenário brasileiro, principalmente com a desvalorização do real, o que prejudica o câmbio.

E este é o valor do modelo de 14 polegadas. O de 16 polegadas sai por US$ 3499 dólares, com o processador M1 Max, com um valor ainda mais amargo para a maioria do público consumidor.

Relação custo-benefício

Em termos de desempenho, o Macbook Pro é excelente. Mas a disponibilidade limitada de títulos faz com que seja melhor repensar a aquisição. Laptops concorrentes com configurações similares são melhores em termos de custo-benefício, mesmo que com processamento inferior.

Há laptops gamer com Windows com ótimo desempenho e preços mais baixos, como o modelo Alienware M15 R4 com Intel Core i7 de décima geração, placa de vídeo Nvidia RTX 3080, 32GB de memória RAM e 1TB de capacidade de armazenamento – por US$ 2609 dólares (também mais barato no mercado brasileiro em comparação com o Macbook Pro com processador M1 Max).

Vale a pena comprar?

Em termos de desempenho, o Macbook Pro é excelente e isto é indiscutível. Mas se o seu objetivo é ter acesso aos lançamentos mais recentes e uma ampla gama de games, ele não é sua melhor opção.

Como dissemos, há uma séria limitação em termos de títulos compatíveis com ele e há opções com melhor custo e mais acessíveis, além de serem próprias para uma quantidade maior de jogos.

Se seu foco não for o de games, mas de trabalho profissional com música ou recursos de edição gráfica, então o Macbook Pro é uma ótima aquisição dificilmente superável. Caso contrário, é melhor optar por investir em um bom desktop, outro modelo de laptop um console.

Conclusões

O Macbook Pro com processador M1 Max ou M1 Pro é sim um bom equipamento para games. Com ótimo poder de processamento nos gráficos integrados, é um dos melhores hardwares da atualidade.

Em geral, computadores e laptops são mais vulneráveis a ataques e ameaças cibernéticas do que consoles, por exemplo. Ter uma boa VPN ajuda a proteger seu Mac (há ótimas opções de VPN para Mac) e permitir momentos de lazer com riscos menores.

A falta de compatibilidade com a maioria dos títulos mais recentes faz com que o potencial incrível do M1 Max acabe limitado, sem poder realmente ser usado. Modelos como o Razer Blade 15 Advanced ou o Asus ROG Zephyrus G14 são indicações melhores se o que você quer é um laptop para games.

Mais sobre: Apple