Reviews

Review Lenovo Vibe K5: o software traiu o hardware

O Lenovo Vibe K5 é o segundo smartphone lançado pela fabricante chinesa no Brasil, e tem como objetivo atingir o público em busca experiência mais premium abaixo dos R$ 1.000.

Mas será que o aparelho da Lenovo oferece recursos suficientes para desbancar seus principais concorrentes? É isso que vamos descobrir nesta análise.

Passei duas semanas com o Vibe K5, e agora irei compartilhar com você todas as minhas impressões.

Especificações

  • Android 5.1.1 Lollipop;
  • 4G Dual Chip;
  • Tela TFT 5 polegadas Full HD (1080 x 1920 px);
  • Processador Snapdragon 615 Octa Core (Quad 1.5 GHz + Quad 1.2 GHz);
  • 2 GB de RAM;
  • GPU Adreno 405;
  • Câmera traseira de 13 MP com flash e HDR;
  • Câmera frontal de 5 MP;
  • Gravação de vídeo Full HD;
  • 16 GB de armazenamento interno;
  • Entrada para microSD até 32 GB;
  • USB Host (OTG);
  • Bluetooth 4.1 A2DP LE;
  • A-GPS;
  • Rádio FM;
  • Alto-falantes Estéreo;
  • Sistema de som Dolby Atmos;
  • Bateria 2750 mAh (removível).

Unboxing

Design

O Lenovo Vibe K5 segue uma linha de design bem diferente da adotada pelo seu irmão mais velho, o Vibe A7010. Enquanto o modelo anterior possui um visual “executivo”, o K5 busca um ar mais “glamuroso”, que fica mais evidente na versão dourada do aparelho.

traseira-lenovo-vibe-k5
Traseira Lenovo Vibe K5. Imagem: Lenovo.

A princípio o smartphone da Lenovo parece ser todo construído em metal, mas na verdade o chassi é de plástico e a tampa traseira removível também possui partes de plástico no topo e no rodapé, pintadas na mesma cor do metal, que servem para melhorar a recepção de sinais de rede pelo celular.

O K5 possui uma construção sólida, com materiais de boa qualidade e ótimo acabamento. Os botões laterais são firmes e respondem bem. E os botões capacitivos abaixo da tela são bem visíveis, apesar de não serem iluminados. A câmera fica bem posicionada, e a lente bem protegida de arranhões, já que está 1 nível abaixo da superfície da tampa.

Laterais Lenovo Vibe K5
Laterais Lenovo Vibe K5. Imagem: Lenovo.

Ao contrário do Vibe A7010, que conta com os alto falantes estéreo distribuídos na frente do aparelho (1 acima e 1 abaixo da tela), o K5 peca por posicionar suas saídas de som (também estéreo) na traseira do aparelho.

A Lenovo até colocou 2 “pézinhos” próximos à estas saídas de som para evitar que o som fosse abafado pelas superfícies, mas isso não resolve completamente o problema, e no final das contas, a experiência de uso acaba ficando muito aquém do esperado, apesar do som potente do K5.

topo fundo lenovo vibe k5
Topo e fundo do Lenovo Vibe K5. Imagem: Lenovo.

Outro pequeno detalhe que me incomodou foi a posição do conector micro USB, que fica no topo do aparelho. Na hora que colocar o aparelho para carregar na tomada do criado-mudo, era impossível achar uma posição que não fosse esdrúxula.

Tela

O K5 é equipado com uma tela Full HD de 5 polegadas que proporciona alta densidade de pixels, e consequentemente, ótima definição de imagem.

Infelizmente, a tecnologia utilizada no painel é o TFT, que na minha opinião perde na reprodução de cores para os displays IPS e AMOLED.

Tela do Lenovo Vibe K5
Tela do Lenovo Vibe K5. Imagem: Tecmundo.

Assim que liguei a tela do K5 pela primeira vez, notei uma forte saturação de cores. Mas o que no início parecia bom, foi se tornando incomodo: a calibração de cores da tela do K5 é uma tragédia.

O dispositivo até vem com um aplicativo de configuração de tela, mas ele é bem ruim. O modos pré-configurados ao invés de ajudarem, pioram a situação. Selecione o modo “conforto” e prepare-se para ver os brancos mais amarelados que você já viu.

Por sorte há o modo de configuração manual de matiz e saturação, mas você precisa ter paciência: quando eu deixava as cores mais quentes, os azuis do Facebook se tornavam insuportavelmente vibrantes. Quando colocava as cores mais frias, os vermelhos do Gmail ficavam “lavados”. Demorei quase 1 dia inteiro para achar um ponto que fosse bom para todas as situações.

Também é importante destacar que a tela do K5 está longe de ser uma das telas mais sensíveis do mercado. Diversas vezes meu toques na tela não foram reconhecidos, principalmente quando tocava em itens pequenos, como o “Continuar lendo” em posts do Facebook.

Esta falta de sensibilidade fica bem visível quando utilizamos o zoom “pinça” nas fotos da galeria – dá para vez claramente um “tremilique” na imagem.

Apesar desses pontos negativos, a tela do K5 é extremamente brilhante e se sai muito bem debaixo do sol. E no escuro, o sensor de luz desce o brilho da tela até um ponto realmente muito confortável para os olhos, algo difícil de se encontrar nos smartphones hoje em dia.

Câmeras

Ao testar a câmera traseira do Lenovo Vibe K5 me deparei com o primeiro de uma série de problemas de software que o aparelho da Lenovo possui: o aplicativo de câmera tem dificuldade para entender as situações de luz e se ajustar automaticamente, a estabilização digital é precária e o foco é bem lento.

Como no papel a câmera parecia promissora, instalei outro aplicativo de câmera para ver se o problema era o app da Lenovo. E de fato boa parte da culpa era dele mesmo. Dá uma olhada no comparativo abaixo:

comparativo foto lenovo vibe k5 camera lenovo camera google
Comparativo de foto com o Lenovo Vibe K5: a da esquerda foi feita com o app Câmera do Google, o da direita com o app Câmera da Lenovo. Créditos: Neto Freire do grupo do K5 no Facebook.

Apesar da situação da câmera traseira ter melhorado significativamente após a troca do app, ainda sim o sensor de 13 MP do Vibe K5 continuou me decepcionando, principalmente pelo fato de ter forte tendência a estourar objetos iluminados e distorcer as cores.

Foto: câmera traseira, dia, sem HDR.
Foto: câmera traseira, dia, sem HDR. Clique para ampliar.
Foto: câmera traseira, dia, com HDR. Clique para ampliar.
Foto: câmera traseira, dia, com HDR. Clique para ampliar.
Foto: câmera traseira, noite, sem HDR, sem Flash. Clique para ampliar.
Foto: câmera traseira, noite, sem HDR, sem Flash. Clique para ampliar.
Foto: câmera traseira, noite, ambiente interno, sem HDR, sem Flash. Clique para ampliar.
Foto: câmera traseira, noite, ambiente interno, sem HDR, sem Flash. Clique para ampliar.

Por incrível que pareça, achei a qualidade da câmera frontal do Lenovo Vibe K5 ligeiramente superior à traseira.

Assim como no A7010, ela possui um recurso de embelezamento de rostos com controle manual de intensidade que funciona bem. Veja:

Foto: câmera frontal, dia, sem embelezamento. Clique para ampliar.
Foto: câmera frontal, dia, sem embelezamento. Clique para ampliar.

E por último, na gravação de vídeos, mais uma decepção: frequentemente percebe-se engasgo quando um movimento brusco é feito, e a estabilização de imagem é péssima. Como se já não bastasse isso, a captura de luz é ruim e a velocidade o foco automático não é das melhores.

O canal LinuxBRS publicou um vídeo que mostra melhor esses problemas de gravação com o Vibe K5. Veja:

No geral, minha avaliação deste quesito foi bem negativa para este aparelho, e grande parte disso se deve aos muitos problemas de configuração e de software que encontrei.

Assim como aconteceu com o Vibe A7010, é muito provável que a Lenovo lance algumas atualizações para corrigir esses problemas. Caso isso realmente aconteça, atualizarei o post com as melhorias.

Desempenho

Eu estava ansioso para testar o Lenovo Vibe K5, afinal, tratava-se de um celular com uma lista de características promissoras, especialmente levando-se em consideração o seu preço: 2 GB de RAM e Snapdragon 615 Octa Core por R$ 800? Sim, por favor.

No papel, tudo lindo: performance digna de intermediários top, como o Asus ZenFone Selfie, confirmada até pelos resultados do Antutu. Dá uma olhada:

Mas foi só começar a utilizar o aparelho para perceber que alguma coisa estava errada: o que experimentei na prática, simplesmente não batia com o que havia visto nas especificações.

Por exemplo, apesar do Vibe K5 contar com 2 GB de RAM, ele demorou até 5 vezes mais que seus concorrentes com 1 GB de RAM para instalar e/ou atualizar aplicativos.

Até aparelhos antigos como o Galaxy S4 Mini instalaram aplicativos mais rápido que o K5 em meus testes.

Para carregar games mais pesados como Mortal Kombat X, o sofrimento foi ainda maior. Cheguei a esperar 3 minutos para ver o jogo rodar.

Depois que o conteúdo carrega fica tudo bem, e os jogos rodam até satisfatoriamente. Mas é importante ter em mente que se você adquirir esse aparelho para jogar, precisará de bastante paciência.

No vídeo abaixo você pode conferir melhor a performance do K5 com games:

Mas como pode um celular com um hardware empolgante no papel, se sair tão mal na prática?

Alguns blogueiros como o Paulo Higa (Tecnoblog) apontam para a qualidade baixa do módulo de memória RAM do Vibe, o que faz com que a velocidade de escrita/leitura de dados do aparelho seja muito abaixo do esperado.

Apesar de concordar em parte com a afirmação, eu acredito que, na verdade, a origem de todos os problemas do Vibe K5 está no software da Lenovo, que aparentemente foi lançado às pressas e por isso está repleto de bugs.

Durante as semanas que fiquei com o aparelho como meu celular principal encontrei bugs em tudo o que você pode imaginar: do despertador (que não toca) ao sensor de luz ambiente (que muda o brilho da tela quando não deve, e quando deve não muda), do led de notificações (que nunca apaga) ao gerenciador de tarefas (que desligou o aparelho quando eu encerrei todas as tarefas). Isso sem contar os bugs da câmera, que vou mostrar mais adiante.

Isso tudo me leva a crer que o K5 sofre com um sistema pouco ou nada otimizado para seu hardware, o que detona completamente a experiência do usuário, tornando um pesadelo o celular que deveria ser a salvação da categoria.

Apesar de todos os bugs e lentidões que enfrentei, misteriosamente todos os aplicativos de redes sociais rodaram no K5 como num top de linha.

Bateria

A bateria de 2750 mAh do Lenovo Vibe K5 está longe de ser uma campeã, mas também não faz feio. E durante o período que utilizei o aparelho, ela sempre deu conta de um dia inteiro (aprox. 15h) longe da tomada com tranquilidade, mesmo com o uso intenso dos primeiros dias.

O carregador que acompanha o aparelho também faz bem o seu trabalho, e carrega o dispositivo em apenas 2 horas. Não é um carregador turbo, mas já quebra um galho.

Prós e Contras

Prós:

  • Preço (aparece em algumas promoções por até R$ 790);
  • Tela Full HD de alto brilho;
  • Já vem pronto para Realidade Virtual;
  • Bom desempenho multitarefa, com destaque para apps de redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram);
  • Acabamento de primeira;
  • 4G com uma das melhores recepções de sinal que já vi;
  • Sistema Dolby produz som de alta qualidade nos alto falantes e nos fones de ouvido (mas não nos fones que vêm com ele);
  • Carregador não é turbo mas carrega o celular bem rápido (assim como o do Lenovo Vibe A7010).

Contras:

  • Android customizado pela Lenovo é cheio de bugs, e muitas funções bacanas presentes no A7010 foram removidas;
  • Câmera traseira foco lento;
  • A entrada para cartões de memória possui o limite de apenas 32 GB;
  • Software de câmera da Lenovo parece “estragar” as fotos;
  • Gravação de vídeos possui engasgos e o mesmo problema de foco lento;
  • Tela pouco sensível, com cores estouradas demais e app de calibragem que pouco ajuda;
  • O vidro da tela NÃO possui proteção Gorilla Glass ou equivalente, ou seja, usar película é fundamental;
  • O LED de notificação do aparelho não pisca, e fica aceso o tempo todo;
  • Posição do conector microUSB no topo do aparelho é bem estranha e pode atrapalhar sua vida;
  • A posição dos alto-falantes estéreo é muito ruim, e o som é sempre abafado pela mão do usuário (em posição normal de uso);
  • Fones de ouvido que acompanham o aparelho são de baixa qualidade e produzem som baixo;
  • Volume dos sons de notificação, chamadas e alarme baixam sozinhos.

Conclusão

O Lenovo Vibe K5 possui o melhor conjunto de hardware em sua categoria de preço, porém o software problemático do aparelho detona grande parte da experiência.

Durante o tempo que fiquei com o aparelho identifiquei vários bugs, que foram reforçados por uma grande massa de consumidores que encontrei nos fóruns e grupos da Internet. Despertador que não toca, teclado com lag (atraso), volume de notificações que baixa sozinho, travadas e reinício repentino estão entre as reclamações mais frequentes.

Olha uma das frases que li no Grupo do Facebook:

Nunca comprei um celular tão “bugado” ao sair da caixa quanto esse Vibe K5.

Sou um usuário avançado e por isso consegui fazer uma série de configurações que acabaram com alguns problemas, porém a maioria dos consumidores simplesmente se irrita e busca a devolução do aparelho.

Se eu fosse a Lenovo, trataria de lançar uma atualização de sistema rapidinho afim de corrigir os bugs do Vibe K5. Afinal, é o sucesso da linha que está em jogo.

Aqueles que buscam um celular pela qualidade das câmeras encontram melhores opções no mercado, entre elas o Moto G de 3ª geração e o Galaxy J3 da Samsung.

E apesar do bom conjunto de som da Dolby, o K5 perde pontos no quesito áudio por conta de seus alto falantes posicionados na traseira, e dos seus fones de ouvido de baixa qualidade. O Idol 3 da Alcatel custa bem mais barato e conta com alto falantes melhor posicionados e fones de ouvido de qualidade superior (JBL).

No final das contas, o Lenovo Vibe K5 é um smartphone recomendado apenas para quem busca um dispositivo bonito e competente na navegação web e uso de redes sociais. Aliás, seu conjunto de hardware parece ser bem otimizado para estas tarefas: sua GPU garante muita fluidez nas rolagens de timeline (Facebook, Twitter e Instagram), a recepção de sinal 4G e Wi-fi do aparelho são excelentes, o multirarefa é satisfatório, a bateria dá conta do recado, e a definição Full HD da tela é grande diferencial do aparelho em sua faixa de preço.

Agora, se você quer rapidez para carregar seus games, gravar vídeos e tirar fotos de qualidade, e não tolera bugs, é melhor ficar longe do K5.