Xiaomi volta ao Brasil oficialmente? Eu acho que não!

A manchete “Xiaomi volta ao Brasil” é a verdadeira esperança de muitos apaixonados por smartphones. A Xiaomi é uma das maiores empresas de tecnologia da atualidade no mercado mundial, com um portfólio de ótimos aparelhos que envolvem celulares, tablets, notebooks e drones, por exemplo.

Depois de uma tentativa frustrada de ingresso no mercado nacional, a empresa estaria voltando agora com um representante em solo brasileiro. Pelo menos é o que indicavam os boatos que circularam na internet nos últimos dias.

Segundo inúmeros portais especializados em tecnologia, a empresa chinesa estaria até mesmo fechada com uma revendedora não-oficial para retomar o mercado. Através da loja WisePlus, uma revendedora online, apaixonados por tecnologia poderiam, finalmente, ter seu aparelho Xiaomi.

Contudo, a pressa foi inimiga da verdade. Os sites pouco apuraram, e sequer verificaram diretamente com a Xiaomi se o fato tratava-se de uma verdade. No fim, o pior aconteceu e não só a farsa veio à tona, como um sinal de golpe acenou aos compradores que finalizaram suas compras.

Xiaomi volta ao Brasil em parceria com a polêmica WisePlus?

A startup já é uma velha conhecida no país pelas “falcatruas”. Responsável por tentar trazer a marca Ulefone para o Brasil, a mesma não conseguiu o sucesso. Atualmente, partiu para a Xiaomi, com o intuito de “abocanhar” os ‘Mi fãs’.

Na segunda-feira (18), a internet ficou animada com a possibilidade de comercialização da linha Xiaomi no Brasil. A WisePlus parecia estar certa como a revendedora da marca no país. Uma loja online pronta e uma página no facebook abastecida fazendo a divulgação foram o suficiente para encantar os fãs.

Página no Facebook foi excluída em menos de 24h. (Reprodução/Gazeta do Povo)

Entretanto, menos de 24 horas depois do alvoroço envolta da notícia de quer a Xiaomi volta ao Brasil, descobriu-se um grande porém: era golpe! Sim, a página da empresa no Facebook havia sido desativada 24h depois de criada, e o site para compras redirecionava a um blogpost de Anderson Figueredo tratando do caso.

Anderson, que por sinal, afirmou em seu post ter sido contratado pela empresa para serviços e-commerce. Ele alertou aos usuários para que ficassem atentos e buscassem seus direitos, caso já tivessem finalizado suas compras junto à loja fantasma.

Revendedora intermediária sem credibilidade

A empresa já abria suspeitas desde muito tempo. Como apura o jornalista Rodrigo Ghedin, a startup ainda tentou comercializar o Windows Phone recentemente. Modelo que já não era mais de interesse sequer da Microsoft, sua desenvolvedora.

Ao fim das contas, a farsa se expôs. Segundo o blog de Anderson, a ideia da WisePlus era repassar o aparelho via importação da China para o cliente. No entanto, os valores ultrapassariam o investido pela startup, causando prejuízos.

A promessa foi grande, a expectativa maior ainda. É necessário ficar atento antes de adquirir produtos por lojas não certificadas e recentemente criadas na internet. Fica a dica: a Xiaomi não está retornando ao Brasil!

Por hora, o sonho de ter a linha Mi ficará apenas no imaginário do amante de tecnologia. Não foi em 2017 que a Xiaomi volta ao Brasil.

Mais sobre: xiaomi