Correios estão fazendo parceria com sites chineses para acelerar entregas?

Parece que os Correios finalmente vão dar uma boa notícia para os amantes dos produtos importados (ufa!). Não, infelizmente não é o fim da taxação. Porém, a notícia vem para aliviar ao menos o tempo que um produto permanece preso em Curitiba.

Como todos já sabem, há uma burocracia desgastante para a entrada de produtos chineses no Brasil, levando à sobrecarga do setor responsável na Alfândega, gerando atrasos e mais atrasos.

Entretanto, tudo isso pode mudar nos próximos meses. Ao menos foi informação oficial divulgada pelos Correios após resposta a uma colunista do Jornal Estadão. Entenda.

Correios teriam acusado sites de chineses de manobra comercial?

Segundo apurado pela jornalista Andreza Matais, os Correios teriam feito uma reclamação formal a respeito de uma modalidade de envio de produtos chineses. Segundo ela, a Agência teria mostrado indignação com a opção de Frete Grátis Sem Registro disponibilizado pelas plataformas de compras – é importante ressaltar que muitos utilizam desta opção para produtos de até 2kg.

A jornalista acaba chamando a tática de uma “manobra comercial” feita pelos sites chineses, que, segundo ela, estariam abusando do uso desta opção para entrada de produtos no Brasil. Além da ausência do registro que impossibilita uma catalogação correta do que entra no país, a ausência do registro ainda desprotege o consumidor que fica impossibilitado de qualquer solicitação junto à Agência.

Entretanto, as regras internacionais de transação de mercadorias possibilita, sim, o envio de mercadorias de até 2kg sem qualquer tipo de registro. A diferença é que no Brasil esta modalidade só é permitida em casos de encomenda pessoais, por esse motivo a acusação dos Correios seria, segundo a jornalista, sustentada.

Agência dos Correios responde em comunicado oficial, acaba com boatos e ainda dá boa notícia aos importadores

Após a notícia circular portais de tecnologia, os Correios se pronunciaram 72h depois em um comunicado oficial negando qualquer tipo de acusação aos sites chineses. A Agência ainda salientou estar em negociações constantes com as lojas asiáticas para facilitar ainda mais a entrega de produtos importados aos compradores.

Importações chegando em 10 dias pelos Correios?

O que afirma o Órgão Estatal é que não há “manobra comercial”, mas sim a exigência de uma melhor disposição de informações quando o Frete Grátis sem Registro é selecionado. Ou seja, a ideia é uma padronização dos sites chineses em relação ao registro dos produtos, mas em nenhum momento o órgão acusou que as lojas estariam realizando qualquer tipo de trapaça.

A constatação, na realidade, envolve ainda outros países do mundo – não só o Brasil – que perceberam a ausência de um registro realizado nos moldes exigidos, informações organizadas e etiquetas padronizadas. A ideia seria corrigir esses pequenos detalhes para melhor atender aos serviços das lojas, e, sobretudo, do consumidor que deseja seu produto.

Assim, os Correios já entraram em contato com organizações internacionais e também com os sites chineses para resolver esse problema. A ideia, em suma, é que os serviços de importações sirvam da mesma forma que o PAC em transportes nacionais. Ou seja, encomendas provindas da China chegando cerca de 10 dias úteis na porta de sua casa.

Claro que ainda o acordo caminha a passos lentos. Mas pode ser que em 2018 a facilitação da importação finalmente seja uma realidade no Brasil.

E você, o que acha disso? Deixe sua opinião nos comentários!

Confira clicando aqui a matéria da Jornalista do Jornal Estadão e clicando aqui a resposta oficial do Site dos Correios.