Deep web: o que é e como funciona

Você certamente já ouviu falar das profundezas da Internet, mas talvez não tenha parado para entender exatamente o que é e como funciona a deep web.

Neste artigo eu explico tudo o que você precisa saber sobre este universo, passando pelas principais redes, protocolos, navegadores, conceitos, verdades e mitos.

E se você quiser ver tudo com seus próprios olhos, basta acessar este outro artigo, que ensina como acessar a deep web:

Deep web: o que é e como funciona - Mobizoo

O que é a deep web?

Para que possamos conviver em sociedade foram criadas regras. Essas regras se aplicam em praticamente todos os espaços sociais, entre eles a Internet. Contudo, existem lugares onde podemos ser totalmente livres, para o bem ou para mal. No mundo virtual, o nome disso é deep web.

Explicando de forma bem simples, a deep web (profundezas da web em tradução livre) é uma classificação da rede internacional de computadores, assim como a surface web (superfície da web), que se resume a toda e qualquer parte da web que não é indexada pelos mecanismos de busca (leia-se Google, Bing, DuckDuckGo e outros).

Sendo assim, todo o conteúdo da deep web fica oculto para o grande público, sendo acessível somente através de softwares especiais. Isso inclui não só as obscuras redes da deep web (que trataremos neste artigo), mas também as redes particulares dos governos, empresas e agências secretas.

O acesso à deep web ocorre na maioria das vezes de forma anônima e descentralizada graças às conexões peer-to-peer (P2P), onde cada computador (também identificado como um “nó”) usa um software específico para se conectar aos demais computadores da rede, de modo que a transmissão de pacotes é feita de forma direta, ponto a ponto.

A rede Onion, acessível através do Tor, é a mais popular da deep web, mas existem inúmeras outras, como a I2P, a FreeNET e a ZeroNET. Algumas são mais acessíveis para os curiosos de plantão, porém outras são extremamente restritas e complexas para acessar. Geralmente, é nessas redes difíceis que estão os sites e comunidades da dark web (o “lado negro” da deep web).

As camadas da web: surface web, deep web, dark web [infográfico]

O que tem na deep web?

A deep web é uma ferramenta libertária no seu núcleo e nos seus princípios. Ela é usada principalmente como meio alternativo para o compartilhamento de informações que por algum motivo não podem estar na Internet comum, para o debate de ideias que são proibidas por alguns governos e/ou doutrinas, e até como ferramenta educacional para conteúdos extremamente profundos e específicos (processos químicos para conservação de cadáveres, por exemplo).

Esse é o lado positivo da deep web, só que infelizmente, como tudo na vida, ela também pode ser usada para o mal.

Desta forma, as redes que compõem a deep e a dark web tornam-se territórios livres para a prática de crimes como pedofilia, tortura, estupro, tráfico de armas, de drogas e até de órgãos, e também funcionam como grandes centros de organização para ataques terroristas, como o que aconteceu numa escola de Susano.

Para você que quer saber mais, recomendo o vídeo 10 boatos que te contaram sobre a deep web, do canal Fábrica de Noobs no YouTube, que sem sensacionalismo, mostra como funciona a deep web e o que você poderá encontrar por lá.

Como funciona a deep web?

De forma bem simplificada, a deep web funciona mais ou menos como uma intranet corporativa (rede interna de uma empresa). Você só consegue acessar através de protocolos específicos, e usando páginas e navegadores apropriados.

Os ambientes e arquivos estão acessíveis por conexões ponto a ponto, de forma que seus passos dentro da rede não deixam rastros.

Cada rede possui seus próprios sites, blogs, fóruns e salas de bate-papo, sendo alguns mais abertos, e outros mais restritos. Há inclusive “Google Drives” próprios para o compartilhamento de arquivos. Tudo de forma anônima.

Indo mais fundo na deep web (dark web)

Acessar a rede Onion através do Tor é sem dúvida a forma mais conhecida de entrar na deep web, porém não é a única. Existem redes ainda mais obscuras, anônimas e descentralizadas, mas elas ficam mais restritas à galera que realmente entende de redes.

Se você deseja acessar as camadas mais profundas da deep web – também conhecidas como dark web –, estude o funcionamento das demais redes. Elas oferecem protocolos mais avançados (como o UDP, por exemplo), criptografia mais pesada, e claro, ambientes mais restritos.

A ZeroNET é a mais moderna dessas redes, sendo baseada na tecnologia blockchain – a mesma usada pelo bitcoin e demais criptomoedas –, mas também temos a FreeNET e a I2P sendo bastante utilizadas.

Rede FreeNET

A Freenet é, talvez, a rede mais antiga das redes da deep web (com excessão, é claro, dos protocolos Gopher e HTTP), e também a mais segura para postar conteúdo anônimo dentre todas as que apresentamos aqui.

Atualmente é uma rede utilizada para “bypassar” as censuras de governos totalitários, onde pessoas podem ser executadas por postarem determinados tipos conteúdos (especialmente quando se tratam de denúncias graves contra os próprios governos). Portanto, DEFINITIVAMENTE NÃO É uma rede para acesso casual e deve-se tomar extrema cautela ao acessá-la.

O diferencial da FreeNET sobre as demais está em sua criptografia militar ponto a ponto, que oferece, além da segurança do anonimato, um compartilhamento de rede mais poderoso que o das redes I2P, mesmo sendo simples de configurar. Além disto, o protocolo que a FreeNET usa é o protocolo UDP, e não o protocolo TCP-IP.

A grande desvantagem da FreeNET é a sua lentidão. Por ser programada em Java (assim como o I2P), ela demanda muito poder de processamento, e muitas vezes consegue ser mais lenta que a Onion e a I2P, tornando-se inviável para escalabilidade.

Outro problema é que ela não só consome largura de banda como também pede muito espaço em HD para o usuário.

Rede I2P

A rede I2P (Internet Invisible Project) é um outro protocolo de conexão P2P distribuído em uma camada de rede anônima. Este protocolo permite que você envie dados entre computadores com multicamadas de criptografia, através do I2PTunnel.

Ele é um dos projetos irmãos da Freenet e concentra-se na comunicação de mensagens (assim como o Protocolo de Internet – IP), mas também existem alguns plugins disponíveis que permitem streaming sobre a rede (assim como o protocolo TCP).

Além disto, o I2P funciona também com o programa de mensagens IRC (Internet Relay Chat), que apesar de antigo, ainda é muito utilizado até hoje por desenvolvedores ao redor do mundo).

A principal desvantagem da I2P em relação à Onion seria a sua instabilidade, já que ela não é tão robusta e resistente à DDoS.

Outro problema é que novos usuários precisam aguardar para obterem melhores velocidades, e mesmo assim ela não será tão rápida quanto o Tor.

Rede ZeroNET

A ZeroNET não só é a rede mais nova dentre as mencionadas aqui, como também utiliza a tecnologia mais moderna de comunicação “sem rastros”: a blockchain.

Originalmente esta rede não oferecia anonimato, mas ele felizmente foi implementado a partir da integração com o Tor, tornando esta uma das melhores alternativas para sites descentralizados – os chamados “zites”.

A grande vantagem da ZeroNET é que os sites são bem leves, não excedendo o tamanho máximo de 10Mb. A desvantagem é que nenhum dos sites pode rodar scripts de back-end, como PHP ou Python.

Agora eu quero saber: você já usou a deep web? Tem interesse me usar? Qual é a sua opinião sobre o deep web depois de ler este artigo? Estou ansiosa para saber a sua resposta nos comentários abaixo.

Colaborou com este artigo Bruno Dias, Bacharel em Ciência da Computação, escritor, desenvolvedor, músico, amante de games e hobbista DIY/Arduino nas horas vagas.
Mais sobre: internet redes