Xiaomi Redmi 9: o novo rei do custo-benefício?

O Xiaomi Redmi 9 foi lançado em junho de 2020 e já está disponível no Brasil oficialmente. O celular chega para ser o novo queridinho dos consumidores, oferecendo um conjunto bem completo por um preço bacana, que é a famosa fórmula mágica da Xiaomi.

Ele conta com uma câmera quádrupla na traseira, processador de alto desempenho, tela com resolução Full HD+ e bateria gigante, com nada mais nada menos que 5.020 mAh de capacidade. A melhor parte disso tudo: ele já pode ser encontrado no mercado brasileiro na faixa dos R$ 1.299, o que o torna quase imbatível nesta faixa de preço.

Confira mais detalhes do Redmi 9 a seguir.

Vá direto para:

Xiaomi Redmi 9: ficha técnica, preço e avaliação - Mobizoo

O Redmi 9 tem a sua construção toda em plástico, como se espera de intermediários deste nível. A Xiaomi optou por um design sem detalhes, com um pequeno degradê de cores na parte traseira, que dá certa beleza para o celular e o diferencia de modelos básicos. Suas câmeras estão alocadas verticalmente, com o leitor biométrico logo embaixo da terceira câmera. Isso é um problema no começo, pois o usuário irá colocar o dedo na lente sem querer, tentando achar o leitor.

Na parte frontal a Xiaomi também seguiu a cartilha dos aparelhos mais recentes, adotando tela com bordas finas e o entalhe de gota, que deixa a câmera de selfies bem discreta. A tela dele tem 6,53 polegadas, tecnologia IPS e resolução Full HD+, então mesmo os usuários mais exigentes com qualidade de imagem devem ficar satisfeitos. Ela também possui proteção Gorilla Glass 3, que evita aqueles arranhões que aparecem “misteriosamente” no celular.

Xiaomi Redmi 9: tela

Esse aparelho usa o processador Helio G80, modelo da MediaTek que, apesar de básico, é “turbinado” para rodar tudo com muita velocidade e fluidez, inclusive games mais pesados. Por isso, no uso do dia a dia o usuário não deve ter problemas com travamentos.

O modelo é vendido oficialmente no Brasil em versão única, com 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno, mas também há uma versão com 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento que pode ser importada.

O Xiaomi Redmi 9 tem conjunto quádruplo de câmeras, mas diferente de outros aparelhos da própria marca, ele não conta com sensor principal “gigante”. O seu tem “apenas” 13 MP, com a secundária ultrawide de 8 MP (para fotos com ângulo aberto), a terceira macro de 5 MP (para fotos super aproximadas), enquanto o último sensor tem apenas 2 MP e é dedicado para o efeito de profundidade no modo retrato.

Todo o conjunto do Redmi 9 é bem “normal” e não tem nada que não estejamos acostumados a ver nos concorrentes, ou até mesmo em vários intermediários da Xiaomi, porém sua bateria impressiona. Ela tem 5.020 mAh de capacidade e entrega autonomia para até dois dias em uso moderado, além de ter suporte para carregamento rápido de 18w, então é mais tempo de bateria e pouco tempo na tomada esperando ela carregar.

Unboxing

Câmeras

Confira algumas fotos que fizemos com o Redmi 9:

Lente principal:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi 9

Foto aproximada (lente macro funcionando como tele):

Teste de câmera - Xiaomi Redmi 9

Fotos ultrawide:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi 9 Teste de câmera - Xiaomi Redmi 9 Teste de câmera - Xiaomi Redmi 9

Foto noturna:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi 9

Selfie normal:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi 9

Selfie Modo Retrato:

Teste de câmera - Xiaomi Redmi 9
Para ver as fotos deste review em tamanho original, acesse o Google Drive do Mobizoo.

Ficha técnica

  • Android 10 com MIUI 11;
  • Tela IPS LCD 6,53 polegadas Full HD+ (1080 x 2340) com Gorilla Glass;
  • Chipset  MediaTek Helio G80 octa-core 2,0 GHz;
  • GPU Mali-G52 MC2;
  • 3 ou 4 GB de memória RAM;
  • 32 ou 64 GB de armazenamento interno, expansível com micro SD;
  • Câmera traseira quádrupla:
    13 MP wide f/2.2 com foco automático por detecção de fase;
    8 MP ultrawide f/2.2;
    5 MP macro f/2.4;
    2 MP sensor de profundidade f/2.4;
  • Câmera frontal de 8 MP f/2.0;
  • Gravação de vídeo Full HD a 30 fps;
  • Bluetooth 5.0;
  • A-GPS, Glonass, Galileo e BDS;
  • Leitor de digitais na parte traseira;
  • USB tipo C;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, giroscópio e compasso, IR, sensor de luz;
  • Bateria de 5.020 mAh com carregamento turbo de 18W.
Xiaomi Redmi 9: ficha técnica

Avaliação

Prós

  • Tem tela Full HD+;
  • Câmera quádrupla versátil;
  • Bateria com grande capacidade;
  • Chega com Android 10 de fábrica;
  • Tem suporte a carregamento turbo.

Contras

  • Leitor biométrico muito próximo às lentes da câmera;
  • Construção em plástico;
  • Sem proteção contra água.

Pontuação no Antutu

Xiaomi Redmi 9: pontuação no Antutu

Preço

O Redmi 9 chegou aqui no Brasil pelo valor sugerido de R$ 1.931, vendido pela própria Xiaomi em sua loja oficial.

Esse preço oficial é bem alto e o deixa inviável, mesmo considerando o aumento que os aparelhos eletrônicos sofreram por causa da crise. Felizmente as lojas varejistas já estão começando a vender o celular também, por valores mais justos, e por isso ele já pode ser encontrado a partir de R$ 1.299.

Por esse valor ele entra na briga para ser um dos melhores custo-benefício do momento, pois é difícil achar outro aparelho na mesma faixa de preço que entregue as mesmas configurações, já que o Redmi 9 é bem completo. Ele tem câmeras boas, processador com bom desempenho, tela Full HD e bateria grande, então vale a pena fazer o investimento.

O que você achou do novo Xiaomi Redmi 9? Conte aí nos comentários!

Mais sobre: Xiaomi