Apple arruína o app Música do iOS, mas há salvação

Quem acompanha o blog já sabe que venho criticando quase que semanalmente as decisões pouco inteligentes que a Apple vem implementando em seu sistema móvel, o iOS.

E nem o App Música, que costumava ser próximo à perfeição, algo que orgulhava os usuários do sistema (era justificativa de compra pra muita gente), não está mais livre dos erros graves de usabilidade que afligem a plataforma.

Basta dar uma rápida passeada por fóruns especializados para se deparar com uma legião de usuários indignados.

A partir da grande revolução de interface apresentada pelo iOS 7, coisas irritantes começaram dificultar a vida dos usuários do player de música dos iGadgets, e as principais reclamações são:

  • remoção do botão shuffle all (todas aleatoriamente);
  • diminuição dos espaços entre os botões do player, dificultando bastante a operação, especialmente para os dispositivos com telas de 4 polegadas ou menor – cliques errados, não registrados e/ou acidentais tornaram-se frequentes;
  • remoção do recurso mostrar navegador de álbuns ao virar a tela para posição horizontal (efeito jukebox);
  • remoção do recurso de compartilhamento de biblioteca de músicas entre aparelhos iOS numa mesma rede wifi (o home sharing)(atualização iOS 8.4);
  • negligenciamento do recurso deslizar para tocar próxima/anterior, presente em qualquer app de música que se preze;
  • 99% da interface na cor branca, que além de gastar mais bateria que os tons escuros, incomoda bastante quem usa o iPhone, iPad e iPod Touch à noite ou em ambientes escuros, como no interior de veículos.

E tem mais:

Sabe quando você está ouvindo sua biblioteca de músicas no modo shuffle, e, de repente você cai numa música de um álbum que você adora, mas não ouvia há um tempão? Aí você quer simplesmente clicar na capa do álbum para abrí-lo e ouvir suas outras músicas, certo?

Pois então, isso era super fácil nas versões anteriores do app de música nativo do iOS: você clicava na miniatura da capa do álbum e a capa se virava com todas as músicas daquele álbum. Agora não é mais. Na versão atual do app, você tem que dar uma volta enorme para acessar o conteúdo daquele álbum.

E agora, o que fazer?

Com uma lista tão grande de mudanças que mais atrapalham que ajudam a experiência de uso, o jeito é buscar outros caminhos: o mais caro – mudar para os sistemas da concorrência (Android/Windows Phone) -, e o mais barato – instalar um aplicativo de música melhor.

E entre as alternativas de apps de música disponíveis na App Store, um dos que mais se destaca é o Ecoute, especialmente por sua beleza e simplicidade de uso, que corrige praticamente todos os erros do app nativo da Apple.

screen322x572

O aplicativo custa apenas 1 dólar, e conta com recursos importantes para quem, como eu, passa o dia todo ouvindo músicas:

  • modo shuffle por álbum ou para toda a biblioteca;
  • dois cliques na capa do álbum para mostrar as músicas do mesmo;
  • deslize o dedo na tela para passar de música ou voltar à anterior;
  • navegação por álbuns ou artistas em grade ou lista;
  • modo noite para tornar mais agradável o uso do dispositívo em ambientes escuros e/ou economizar bateria.

Além dos recursos acima, o app ainda conta com integração ao Last.FM e AirPlay. O visual é caprichado e com bastante espaço entre os botões. É muito fácil se acostumar ao app e esquecer o player nativo pra sempre.

E você? Gostou da dica? Conhece algum outro player bacana pra iOS? Compartilhe aqui com os outros leitores.