Opinião

Uma semana com o Android 5: as vantagens e desvantagens de atualizar

O Android Lollipop, também conhecido como Android 5.0 é lindo.

Em sua quinta versão, o sistema do Google trouxe uma revolução visual completa: o “Material Design“. Desenvolvido para deixar o robozinho mais humano, ele pode ser experimentado em cada cantinho do sistema.

Esse conjunto de novos elementos visuais que valorizam o jogo de planos, paleta de cores amigável, animações fluídas que focam na continuidade das interações e a organização mais natural do ambiente, colocam o novo sistema na vanguarda da interação homem-máquina.

Mas infelizmente nem tudo são flores…

Depois de uma semana usando o Android 5.0 tenho algumas observações importantes para aqueles que ainda não atualizaram e estão ansiosos por esse momento. Dependendo das suas prioridades, pode ser que você prefira continuar no Kit Kat.

Prós

Além de todas as vantagens de um sistema com visual e usabilidade melhorados, há uma perceptível melhora na fluidez geral do Android. Isso se deve graças à nova runtime implementada pelo Google, a ART que chega para substituir a antiga Dalvik. Parece que finalmente iremos ficar livres das engasgadinhas que nos acompanharam durante todos estes anos (especialmente nas rolagens de tela).

Os usuários dos Nexus 4 e 5 sempre reclamaram das cores “lavadas” e do baixo contraste das telas de seus aparelhos. Isso parece ter sido completamente resolvido pelo Android 5. Agora as cores apresentadas em tela são mais vivas (de modo equilibrado, não exagerado) e o contraste melhorou bastante, resultando inclusive em melhores ângulos de visão. Isso fica especialmente visível no Nexus 4: dá pra pensar que a tela foi trocada!

Contras

Tela de bloqueio

A tela de bloqueio do Lollipop está cheia de novidades: agora você pode interagir com notificações diretamente nela, além de poder ir direto pro discador.

Mas algo muito ruim aconteceu nessa reformulação: o recurso de adicionar widgets na tela de bloqueio foi completamente retirado do sistema.

Sim, você ainda pode controlar sua música e ver a arte do álbum que está tocando (isso depende do aplicativo).

Widgets

Outra coisa ruim para quem for atualizar é que os widgets para ligar e desligar a conexão 3G deixaram de funcionar no novo Android.

Eu por exemplo usava o excelente Power Toggles no Kit Kat para ligar e desligar funções direto na barra de notificações. Mas infelizmente ele ficou bem limitado após a atualização.

Gerenciador de tarefas

O novo gerenciador de tarefas do Android 5 coloca todas as telas do aplicativo numa fila 3D, como num baralho de cartas. E apesar de ser um recurso bonito, ele não permite que o usuário veja o conteúdo das telas que estão mais atrás na fila, e isso pode irritar muita gente acostumada com a visualização clara que o Android oferecia de cada janela de aplicativo até a versão 4.4.4.

Além disso, as abas abertas do Chrome agora são mostradas individualmente no gerenciador. O que pode gerar certo desconforto para alguns. Há a possibilidade de desligar o recurso no navegador, mas isso não funcionou em nenhum dos nossos testes (ele ignorou a desativação e continuou mostrando as abas do mesmo jeito).

Bateria

Agora um dos pontos mais críticos: depois de dias usando o Lollipop no meu Nexus 4, só posso dizer uma coisa da duração da bateria: piorou muito!

O pessoal do XDA Developers também realizou testes no Nexus 5 e em outros aparelhos e obtiveram o mesmo resultado: o consumo de bateria na nova versão do Android é até 10% maior que na versão anterior (Kit Kat).

E isso após o Google ter anunciado que havia otimizado o sistema e todos os seus aplicativos (Gmail, Maps, Hangouts) para reduzir drasticamente o consumo de energia. Que vergonha, hein?

Ah! E tem mais: sabe aquela animação bacana de bloqueio de tela que imita uma TV desligando? Então, já era!

Conclusão

Mesmo com todos os problemas, o Android Lollipop é sem dúvida o sistema móvel mais bonito e moderno da atualidade. E por isso deve ser experimentado agora.

Alguns dos problemas acima devem ser corrigidos em atualizações futuras do Google, ou mesmo em ajustes de cada fabricante. E mesmo que não sejam, há toda uma comunidade de programadores prontos para otimizar suas funções. É só aguardar.

Agora, se a bateria é um ponto fundamental no seu uso, é melhor aguardar um pouquinho.