Opinião

Não está sendo fácil: Moto Z mais simples no Brasil

Que 2016 não está sendo um ano fácil, você já sabe. Na verdade, eu tenho chamado 2016 de “2015, segunda edição“. E como mesmo no mundo da tecnologia móvel as cagadas não param, resolvi pegar emprestado o selo “Kátia Cega – Não está sendo fácil” do Diva da Depressão para homenagear as novidades mais toscas de 2016. O primeiro a receber a honraria: o novo Moto Z.

Aí você deve estar se perguntado: mas por que o Moto Z ganhou o selo, se ele é um lançamento super bacana?

Pois é amiguinho(a), realmente o Moto Z poderia ter sido uns dos lançamentos mais aguardados do ano no Brasil, mas não, a Lenovo resolveu jogar um balde de água fria nos fãs da linha Moto, anunciando que a versão brasileira do “top de linha” terá hardware mais simples que o anunciado na versão internacional.

Resumindo, mais uma vez vamos colocar nosso nariz de palhaço, e pagar muito caro numa versão “capada” de um top de linha. Aliás, lembra que há um tempo atrás eu disse que os tops de linha iriam morrer em breve? Pois é, parece que aqui no Brasil as fabricantes estão se esforçando para isso acontecer rapidinho.

No início do ano, a LG fez a mesma cagada que a Lenovo está fazendo agora, trazendo para o país uma versão simplificada do seu top, o G5.

Moto Z no Brasil: versão Lite

Para você entender melhor o drama, vamos aos fatos: o dispositivo que será oferecido por aqui virá com a versão Lite do Snapdragon 820. Isso significa velocidade de processamento 20% menor que na versão americana – 1.8 GHz contra os 2.2 GHz da versão original.

Acha que a zuera parou por aí? Nada! Para piorar, a versão nacional do Moto Z também contará memória RAM e GPU mais lentos que do modelo internacional. Veja:

Moto Z – RAM

  • Velocidade de Memória RAM – Moto Z Internacional: 1.866 MHz
  • Velocidade de Memória RAM – Moto Z Brasil: 1.333 MHz

Moto Z – GPU

  • Velocidade de GPU – Moto Z Internacional: 624 MHz
  • Velocidade de GPU – Moto Z Brasil: 510 MHz

Apesar do números, a Lenovo jura de pés juntos que, na prática, não haverá perda de performance. Frente à isso só temos a dizer:

moto z senta la claudia