Opinião

Mesmo num ano ruim para o mercado, Android ainda cresceu em 2014

A empresa de pesquisas de mercado IDC acaba de lançar um relatório que mostra que o Android continuou crescendo em 2014, e agora domina 81.3% do mercado mundial de mobile (em 2013 eram 78.7% de market share). O segmento de entrada foi o maior responsável pelo crescimento no ano passado, e pela primeira vez na história, o número de Androids vendidos no ano ultrapassou a marca de 1 bilhão.

No mesmo relatório é possível observar que, somados, Android e iOS dominam 96.3% de todas as vendas de smartphones. É Windows Phone, nós confiamos em você, mas tá difícil pro teu lado.

Pra piorar, o Windows Phone ainda sofreu um declínio de market share em 2014. Eram 3.3% em 2013, caindo para 2.7% em 2014.

O iOS também teve uma pequena queda, caindo de 15.1% para 14.8% de market share em 2014. Mas de maneira geral, o sistema da Apple continua com um sólido 2º lugar.

Planilha_sem_título_-_Planilhas_Google

Entre as fabricantes, a Samsung continua vendendo muito mais que todas as outras marcas de aparelhos Android juntas. Mesmo com a queda nas vendas em relação ao ano anterior.

Mas o crescimento do Android em 2014 se deve mesmo às fabricantes chinesas Lenovo (dona da Motorola), Huawei e Xiaomi. Dá uma olhada no gráfico de vendas por fabricante em 2014:

Smartphones2014
Q1 ’13 = primeiro trimestre de 2013.

Não precisa analisar muito o gráfico pra ver que a Motorola sob o comando da Lenovo, lançando aparelhos de sucesso como o Moto G e Moto E, obteve enorme crescimento nos últimos 2 anos, atropelando a LG.

A Apple por sua vez, teve um final de ano maravilhoso, e, apostando nas telas maiores, vendeu iPhone 6 pra cacete, deixando a Samsung numa posição delicada pra 2015.

Com a concorrência mais forte, a Samsung vai ter que se virar pra causar impacto no mercado este ano. O Galaxy S6 já está chegando, mas a coreana precisa melhorar muito seus aparelhos nas categorias de entrada se quiser continuar liderando o mercado.

No Brasil, com o cenário econômico desfavorável, é bem provável que haja uma queda nas vendas. Movimentos certeiros como o lançamento do Moto E de segunda geração com o dobro de potência pelo mesmo preço pode fazer toda diferença, já que no país os aparelhos mais baratos costumam colocar as empresas nas melhores posições.

Vamos esperar pra ver. O ano promete!