Notícias

Nintendo Switch: tudo o que você precisa saber sobre o novo videogame

No final da semana passada a Nintendo finalmente anunciou seu novo videogame, o Nintendo Switch. E como já era esperado, trata-se de um aparelho híbrido, que chegará às lojas em março de 2017.

Com o novo modelo a fabricante japonesa mostra que está apostando pesado na jogatina móvel para esta nova geração, mas sem deixar de lado o bom e velho combo sofá+TV.

Agora você poderá iniciar um game em sua TV, no conforto do sofá, e depois continuar a diversão em qualquer lugar. Até mesmo no ônibus!

Venha comigo conhecer todos os truques que a Nintendo reservou para o Switch. Mas antes, se liga no vídeo que deixou a Internet atordoada:

As vantagens de um console híbrido

O Nintendo Switch é composto por um display semelhante a um tablet, dois controles destacáveis, uma base para os controles e outra para o display.

Com essa configuração, o Switch pode oferecer um mix de experiências, combinando a jogabilidade mobile e doméstica. Assim é possível usar o recurso de continuidade, permitindo que você comece jogando em um terminal, como a TV, e vá pegar o ônibus para o trabalho ou para a escola sem interromper o jogo, usando o tablet acoplado aos controles do Switch.

vant

À propósito, no vídeo de divulgação é possível perceber que o display do Switch tem o que parece ser uma porta 3.5 mm para fones de ouvidograças a Deus!

Além disso, o console e sua base são bastante compactos e podem ser facilmente posicionados em um rack ou qualquer pequeno espaço que houver para se alocar o aparelho. Essa característica também facilita o transporte do Switch quando for viajar para um sítio no final de semana, etc.

Você disse controles destacáveis?

joc

Sim, a Nintendo os batizou de Joy-Con. E esse recurso foi um dos que nos gerou maior entusiasmo.

Os controles são compactos o bastante para serem utilizados pelas extremidades do Switch com conforto e boa ergonomia. Ao destacá-los, o display poderia funcionar como um tablet para reproduzir vídeos e utilizar funções baseados em touchscreen.

Ainda com os controles desanexados da tela do Switch, você pode continuar jogando como se os controles estivessem lá. Recursos sensoriais como os que fizeram do Nintendo Wii um sucesso ainda não foram confirmados, mas provavelmente estarão incluídos.

as

É possível anexar os controles à um dock (Joy-Con Grip), formando um controle tradicional, fora do display. E se você é um jogador focado em games hardcore, recordes e liderar em todos os jogos, pode ficar tranquilo: haverá uma versão Pro do Joy-Con destinada a oferecer maior precisão e ergonomia.

Jogos em um cartão

card

Os jogos do Switch serão disponibilizados em pequenos cartuchos, chamados Game Cards. E isso significa que não será possível utilizar os discos de games que você adquiriu para o Wii ou Wii U.

Apesar disso, os jogos também poderão ser adquiridos pela eShop e armazenados na memória interna do aparelho, abrindo porta para uma possível retrocompatibilidade e gerando expectativa com relação ao suporte à plataforma Virtual Console.

Desde o Wii, a Nintendo vem mantendo a retrocompatibilidade das demais gerações para o console atual, então a tendência é que seja possível jogar os jogos de NES, SNES, Nintendo 64, Game Boy, Wii, Wii U e Nintendo 3DS no Switch – o que seria formidável.

Mas por enquanto isso é tudo especulação, e a empresa só deve se pronunciar à respeito deste recurso nos próximos meses.

Quem irá desenvolver jogos para o Switch?

Olha… tem uma galera! Anota aí:

softhouses

Os destaques vão para Activision, Capcom, EA, Ubisoft e Square Enix. Isso além da própria Nintendo, é claro.

Imagine poder jogar Call of Duty, Resident Evil, Assassin’s Creed ou até mesmo um Final Fantasy com a experiência prometida pelo Switch! Sonhar não paga e nunca é demais.

Mas o fato é que ter esses contratos já firmados é um ótimo motivo para ter ótimas expectativas em relação aos prováveis games a serem lançados para o Switch.

Entre os jogos anunciados e os que foram possíveis ver durante a apresentação do console, estão títulos como:

  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild;
  • Just Dance 2017;
  • Project Sonic;
  • Dragon Quest X e XI;
  • The Elder Scrolls V: Skyrim;
  • Mario Kart;
  • Splatoon;
  • Série NBA 2k;
  • e ainda um novo Super Mario em 3D.

Sim, amigos, é bastante coisa. Todos são títulos de peso e tornam o Switch bastante promissor do ponto de vista de disponibilidade de games.

Diversão x desempenho

Algumas pessoas gostam de julgar o desempenho de um produto apenas pelas especificações técnicas. A Nintendo, por sua vez, tenta manter o foco em experiências que podem ser proporcionadas pelos seus jogos e consoles.

A empresa sempre foi muito inventiva e valorizou a criatividade para deixar seus jogos divertidos e com personagens e enredos carismáticos que cativam o jogador. É essa a simples fórmula que arrasta uma legião de fãs para franquias como Super Mario, Zelda, Metroid e Donkey Kong ao longo de décadas.

Falando sobre especificações, muita coisa ainda não foi confirmada. Aparentemente o Switch terá um processador Nvidia Tegra X2 customizado, o que pode proporcionar um poder de processamento semelhante ao de um Playstation 4.

É de se esperar que nessa customização seja incluída uma otimização para eficiência térmica e energética, já que o Switch também é um console portátil.

Não sabemos ainda quanto tempo vai durar a bateria do Switch, mas a Nintendo afirmou que:

“estamos desenvolvendo o Nintendo Switch para que consumidores consigam aproveitar jogos com conforto fora de casa”.

Quando estou no metrô, eu diria que me sinto confortável se puder jogar sem ter que lidar com fios para recarregar o console ao mesmo tempo, Nintendo.

E aí, será que vai valer a pena o Switch?

A resposta é: depende. A Nintendo vai realizar uma reunião essa semana com investidores para anunciar os resultados financeiros e deve aproveitar para dar alguns detalhes a mais sobre o console. Mas, basicamente, é necessário que fique mais claro como o Switch vai se posicionar no mercado. Quanto ele vai custar, quais serão os recursos online, retrocompatibilidade, e por aí vai.

Agora só resta aguardar e ficar ligado no que a companhia soltar em relação ao lançamento do Switch. Esperamos que a Nintendo tenha êxito em conseguir tornar o aparelho atraente para os consumidores, afinal quanto maior a concorrência, melhor serão as opções para se divertir.

E diversão a Nintendo já provou que sabe fazer.

Via Gizmodo