Dicas

Guia de compras nos Estados Unidos: o que vale e o que não vale à pela?

Em setembro estive de férias e viajei com minha esposa e mais duas amigas para a terra do Tio Sam. Como você deve ter percebido, no último mês o blog ficou sem atualização. Mas nem por isso parei de pensar em tecnologia móvel. Observei muitas coisas interessantes pelas três cidades que passei: Los Angeles, Las Vegas e Nova Iorque. E agora compartilho com vocês um pouquinho do que descobri na viagem.

Só existem 2 smartphones nos EUA

É impressionante como nos EUA você só vê gente usando iPhones e Galaxies S. Seja em lugares mais pobres, de maioria latina, ou em ambientes mais sofisticados, as várias versões do celular da maçã dominam a paisagem, seguidos de muito perto pelos tops da Samsung. O mesmo fenômeno é visto em lojas e barraquinhas de acessórios: você só encontra capas, películas e companhia para iPhone 4/5 e Galaxy S3/S4. Tanto que tive muita dificuldade para achar uma capinha para o meu Nexus 4.

Só encontrei aparelhos diferentes (Nexus 4, HTC One, Razr HD e Xperia ZQ) nas mãos de turistas estrangeiros: brasileiros, orientais, indianos e europeus.

Deu até saudade da nossa rica fauna de aparelhos. Aliás, o próprio nome desse blog não faria sentido nos EUA: criei o nome Mobizoo para dar corpo à um zoológico com uma rica fauna de aparelhos mobile – mobile zoo.

Então, se você vai pros EUA à procura de acessórios bacanas e baratos para o seu aparelho, pode tirar o cavalinho da chuva. A não ser que o seu celular seja um iPhone 4/5 ou um Galaxy S3/S4.

Notebook barato? Só se for enorme!

Outra coisa que me chamou atenção foi a escassez de notebooks pequenos e leves com preço camarada no varejo. Em lojas grandes como a Best Buy, os menores preços estavam em notes com telas de 15 polegadas ou mais, como por exemplo um HP Pavillion que encontrei numa promoção por 299 dólares: ele possuía 4 GB de RAM, processador i3 e tela de 15,6″. E ainda vinha com impressora grátis.

Minha esposa, que estava procurando um modelo de 13 polegadas, que fosse leve (por volta de 1 Kg) e de marca confiável, se decepcionou com os preços: todos a partir de 999 dólares. Ou seja, Ultrabooks também são caros por lá.

Não se esqueça: nos States, tudo que você compra tem mais 10% de taxas. Num Ultrabook de $999, na verdade você desembolsa 1.100 doletas.

Trazer smartphones e tablets dos USA vale à pena?

Aí depende; tablets Android com certeza valem muito à pena: um Nexus 7 último modelo de 16 GB com Wi-Fi, sai por apenas 600 reais se trazido direto dos States. E isso já com as taxas incluídas. Aqui no Brazuca esse tablet nem esta disponível no varejo, e se estivesse, custaria mais de 1.200 Dilmas.

iPads saem um pouco mais caros, mas ainda sim também valem à pena: o modelo mais barato do iPad Mini sai por volta de 900 Dilmas.

Uma dica importante para os leitores que estão pensando em trazer um iPad dos EUA: quanto mais Top o modelo, menor e a vantagem de trazê-lo: o iPad Retina de 64 GB custa quase o mesmo preço praticado no Brasil. E você ainda aumenta as suas chances de ser taxado a alfândega, já que o valor em dólares desse iPad ($699) estoura a cota individual de $500.

Para trazer um smartphone, a estratégia e passar longe dos grandes varejistas e lojas de operadoras. A boa é comprar seu smart no eBay e mandar entregar no hotel. Além do preco ser bem mais em conta que no varejo, você ainda escapa dos famigerados 10% de taxas.

Bom, acho que é isso. Espero que tenham gostado das dicas. E se tiverem alguma pra dar, deixem aí nos comentários.