Dicas

Barra de Navegação Android: virtual, capacitiva ou física?

Você já parou para pensar em qual o seu tipo preferido de barra de navegação Android? Pode parecer bobagem, mas o tipo de tecnologia aplicada neste recurso modifica completamente a experiência de utilização do smartphone.

As fabricantes seguem lançando celulares com os três tipos de navegação: os com botões virtuais, os com botões capacitivos e os com botões físicos. Mas você conhece as vantagens e desvantagens de cada tipo?

Fique ligado(a) neste artigo e descubra qual a melhor opção para você.

Evolução da barra de navegação Android

Os botões físicos de navegação foram os primeiros a aparecerem nos celulares com sistema Android. Eles são posicionados fora da moldura da tela e precisam ser pressionados.

Os botões capacitivos vieram logo depois e funcionam com tecnologia de toque. Eles ficam situados na área da moldura da tela, e geralmente são iluminados.

Os botões virtuais foram os últimos a aparecerem no Android, estreando em 2011, no lançamento da versão 4.0 do sistema (Ice Cream Sandwich).

Esta foi a primeira tentativa do Google de padronizar a experiência Android, trazendo os botões virtuais Voltar, Home e Multitarefa, posicionados dentro da tela, no rodapé. Ainda havia um quarto botão escondido (Menu), que aparecia somente quando necessário.

Smartphones com barra de navegação Android feita de botões físicos

Nos primórdios do sistema Google esse tipo de configuração era comum, porém hoje em dia é bem difícil encontrar celulares com teclas físicas de navegação Android.

Atualmente somente os celulares super resistentes, voltados para um público mais “casca-grossa” contam com o recurso, como é o caso da versão Active do Galaxy S6, somente disponível lá fora:

Barra de navegação Android do Galaxy S6 Active
Barra de navegação Android com botões físicos do Samsung Galaxy S6 Active. Imagem: AndroidCentral.

Smartphones com barra de navegação Android feita de botões capacitivos

Esta é uma das configurações mais populares da barra de navegação Android, sendo especialmente utilizada pelas fabricantes chinesas, como a Lenovo:

Barra de navegação Android com botões capacitivos do Lenovo Vibe K5.
Barra de navegação Android com botões capacitivos do Lenovo Vibe K5.

Smartphones com barra de navegação Android feita de botões virtuais

O sonho do Google é que todas as fabricantes de celulares Android utilizem esta configuração, porém muitas ainda resistem. E o pior: A Samsung, maior fabricante de celulares do mundo, nunca utilizou os botões virtuais em seus aparelhos.

Por sorte, aparelhos muito populares como o Moto G sempre utilizaram a barra de navegação Android do jeitinho que o Google idealizou: botões virtuais dentro da tela.

Barra de navegação Android do Moto X: botões virtuais. Imagem: Android Pit
Barra de navegação Android do Moto X: botões virtuais. Imagem: Android Pit

Vantagens e desvantagens

Botões virtuais “comem” o espaço da tela

A colocação de teclas de função na borda inferior da tela causa uma perda 48dp (Density-independent Pixels/ Densidade na tela) na tela. Alguns usuários argumentam que esse espaço poderia ser usado pelo sistema. Mesmo que os telefones estejam ficando maiores, a incapacidade de usar a tela grande por completo é suficiente para querer enviar estes botões para a borda. No entanto, o Google tem trabalhando para fazer o melhor, com a implantação de uma interface que pode ocultar as barras do sistema e desta forma proporcionar um recuo temporário dos botões.

Botões físicos duram menos

Os botões físicos são peças mecânico-eletrônicas que sofrem desgaste com o tempo e o uso contínuo.

Os botões capacitivos também sofrem a ação do tempo, porém bem menos que os botões físicos.

Os botões virtuais são meras imagens do sistema projetadas na tela, e portanto não estão expostos à tais desgastes.

Botões virtuais são flexíveis

Talvez a maior vantagem dos botões virtuais seja a sua capacidade de se adaptar como a situação exige. Eles se ajustam à orientação da tela, e podem ser customizados e configurados do jeito que o usuário desejar (desde que o software do smartphone permita, ou através de root).

Além disso, eles possibilitam aquela sensação gostosa de celular novo, toda vez que o sistema Android é atualizado.

Botões físicos e capacitivos simplesmente não se adaptam à orientação da tela, nem muito menos podem ter seu visual customizado. E mais: eles vão continuar sempre do mesmo jeito, mesmo que o seu celular seja atualizado para uma nova versão do sistema.

Conclusão

Com todos os fatos expostos, é bastante claro que ambos os botões têm seu próprio conjunto de vantagens e desvantagens. No entanto, os botões virtuais têm infinitamente mais potencial, e o mais importante, tem o apoio dos desenvolvedores do Google.

Qual você prefere? Ele afeta a sua escolha na hora de comprar um smartphone? Deixe seu comentários abaixo!