Dicas

5 dicas preciosas para evitar o roubo de celulares

O roubo de celulares é um dos crimes mais comuns do país. E número de ocorrências nos últimos anos cresceu mais de 100% nas grandes cidades. E olha que apenas 50% das vítimas registram a ocorrência.

Segundo policiais, os aparelhos são muito atrativos para os bandidos por serem de fácil revenda, e, assim como carros e motos, também podem ser “desmanchados” para venda de peças.

Os números são impressionantes. Dá só uma olhada:

Para que isso não aconteça com você, o Mobizoo traz uma série de dicas para que você diminua ao máximos as suas chances de ser roubado(a). Vamos à elas?

1 – Não facilite a vida do bandido

Ser precavido(a) não faz mal à ninguém, certo? Então saiba que os gatunos vão atrás dos “clientes” mais fáceis, aqueles que estão em situação mais vulnerável ou menos atentos.

Portanto não dê bobeira. Quando estiver fora de casa:

  • Não deixe o aparelho à mostra quando estiver andando na rua ou em transportes públicos;
  • Procure carregar o celular dentro da bolsa ou mochila e em modo vibratório;
  • Mulheres, não deixem suas bolsas abertas! Principalmente nos transportes;
  • Não deixe seu aparelho em cima de mesas e balcões de lanchonetes, bares, restaurantes e cafeterias;
  • Se seu celular tocar e for preciso atender, entre em uma estabelecimento comercial;
  • Evite falar ao celular com a janela aberta – do carro ou do ônibus;
  • Caso ainda tenha aquele celular velho, utilize-o quando for a um grande evento, ou na praia. Evita prejuízos;
  • Celulares maiores não devem ficar nos bolsos da calça, pois o volume deles chama a atenção dos ladrões;
  • Nunca deixe o celular à vista dentro de veículos estacionados, pois pode causar danos ao veículo e furto do aparelho.

datena meme roubo de celulares

2 – Evite os smartphones mais visados pelos bandidos:

  1. iPhone 5S e 5C
  2. Moto G (principalmente o de segunda geração)
  3. iPhone 6 e 6 Plus
  4. Galaxy S5 e S4
  5. Xperia (os modelos mais caros)

Pela lista eu diria que ladrão não gosta da LG.

3 – Evite os Bairros mais perigosos, ou fique mais esperto(a) neles

Confira abaixo uma lista com as 10 regiões da cidade do Rio de Janeiro com o maiores índices de roubo de celulares:

  1. Méier e Cachambi
  2. Centro
  3. Barra da Tijuca
  4. Tijuca
  5. Flamengo, Catete, Cosme Velho, Glória e Laranjeiras
  6. Irajá, Vicente de Carvalho e Vila da Penha
  7. Zona portuária
  8. Leblon e Ipanema
  9. Botafogo, Humaitá e Urca
  10. Copacabana, Leme

Fonte: Exame

Já em São Paulo, segundo o site G1, os bairros da Zona Oeste são os mais perigosos.

4 – Use disfarces

Sim, pode parecer inusitado, porém disfaçar ou camuflar seu smartphone pode ser extremamente eficiente para evitar roubos.

Portanto use capas que alterem a forma do aparelho, de forma que seja difícil para o ladrão distinguir o modelo.

Aquela galera que gosta de usar capas no iPhone que deixam a maçã exposta para quem quiser ver, acha que está “tirando onda” mas na verdade está mandando um aviso pro ladrão: “olha, meu celular é bem caro!”

5 – Esteja preparado(a) para o pior

Mesmo com todas as precauções você ainda pode acabar ficando sem aparelho. Por isso é importante deixar o seu aparelho pronto para que, em caso de roubo, os prejuízos sejam os menores possíveis:

  • Se o seu aparelho for um Top de Linha, daqueles bem caros, pode ser que valha a pena fazer um seguro, como os da Bem Mais Seguro;
  • Instalar aplicativos de segurança e rastreamento é sempre recomendável, pois podem te ajudar bastante a recuperar o aparelho;
  • Fazer backup dos seus arquivos e dados com frequência, ou manter o aparelho sincronizado com os serviços em nuvem é obrigatório para quem não quer perder coisas importantes salvas no celular. Ah, e não se esqueça de SEMPRE apagar coisas íntimas e dados bancários salvos no aparelho, pois se caírem em mãos erradas…
  • Tenha anotado em algum lugar o número do IMEI do seu aparelho (ou guarde a caixa em casa) para que, em caso de roubo, possa bloqueá-lo junto à operadora. Com esse bloqueio, seu celular não poderá ser mais utilizado por ninguém.